026

Conferência BiodieselBR 2011: debates e opiniões


Edição de Dez 2011 / Jan 2012 - 15 dez 2011 - 15:38 - Última atualização em: 09 mar 2012 - 16:47
A edição 2011 da Conferência BiodieselBR consolidou o evento como um dos mais qualificados fóruns de discussão sobre biodiesel

Fábio Rodrigues, de São Paulo, com fotos de Sergio Kanazawa

A edição 2011 elevou a Conferência BiodieselBR a um novo patamar de relevância. O evento internacionalizou- -se, atraindo participantes e palestrantes de países como Estados Unidos, México, Chile, Colômbia, Alemanha e Ucrânia. As 29 palestras realizadas em dois dias de debates foram assistidas por 250 pessoas, um terço das quais em cargos de diretoria.

Foi a maior edição já realizada e, como disse o diretor executivo e colunista de BiodieselBR, Miguel Angelo Vedana, indica que o setor tem “enorme interesse em dialogar para construir uma visão de longo prazo”. Nas próximas páginas, você poderá conferir algumas opiniões apresentadas durante o evento.

A cobertura completa com todos os detalhes você pode conferir no endereço: www.bit.ly/bbr2011. As fotos podem ser acessadas em www.bit.ly/2011fotos

Rodrigo Rodrigues

Coordenador da Comissão Executiva Interministerial de Biodiesel – Casa Civil

“Do ponto de vista do governo federal, estamos tranquilos porque antecipamos o B5. Novos aumentos precisam do aval do Congresso.”

“Esse mecanismo ainda precisa ser mais bem avaliado e os valores do Fator de Ajuste Logístico precisam ser revisados, mas conseguimos encurtar as distâncias entre a produção e o consumo, melhorando a eficiência do setor como um todo.”

“As matérias da revista [BiodieselBR] mostraram preocupação com questões relacionadas à qualidade, mecanismo de comercialização, diversificação das matérias-primas... Essas foram questões levantadas durante o ciclo de conversas que realizamos e são também preocupações do governo federal. Precisamos fazer ajustes nesses pontos antes que um novo passo possa ser dado.”

Allan Kardec

Diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)

“Estamos finalizando a nova especificação. Nas próximas semanas o documento deverá ser apresentado na reunião de diretoria da ANP.”

Erasmo Carlos Battistella

Presidente da Associação dos Produtores de Biodiesel (Aprobio) e diretor-presidente da BSBios

“Precisamos estar atentos a todos os elos da cadeia.”

“Neste momento, temos uma realidade apropriada para a instalação do novo marco regulatório, com uma superoferta de capacidade instalada somada a uma oferta de matéria-prima e a necessidade de consumir mais energia renovável.”

“Se não tivermos o novo marco regulatório, a entrada de novos players grandes vai enfraquecer players menores do setor. Precisamos nos preocupar com os empresários brasileiros que investiram num programa de biodiesel que é um programa do Brasil.”

“O Brasil tem condições de ser o maior produtor de palma de óleo do mundo e estamos avançando nisso. Se tivermos mais demanda, vamos ter mais diversificação.”

“O biodiesel é S0.”

“Temos um pré-sal verde. Cada usina de biodiesel é um pequeno poço de petróleo no interior do país e a cadeia está madura para dar o próximo passo.”

Deputado Jerônimo Goergen (PP-RS)

Deputado federal pelo Rio Grande do Sul para a legislatura 2011/2015

“Precisamos de um marco, que vai dar garantia para consolidar o setor, mas nós não somos proativos no que diz respeito ao que precisamos prever. Em geral, só vamos atrás das leis quando os problemas já aconteceram.”

“[A redução tributária] seria um avanço importante porque imposto é um dos principais gargalos do país. O governo brasileiro insiste nesse modelo de cobrar muito de poucos, o que acaba estimulando a sonegação.”

“Imaginamos estabelecer um horizonte de dez anos para preservar os investimentos. O setor precisa ter clareza para que continue gerando empregos e riqueza.”

José Raimundo Brandão Pereira

Gerente executivo de Marketing & Comercialização da Diretoria de Abastecimento da Petrobras 

“A Petrobras não se entende mais como uma empresa de petróleo, mas como uma empresa integrada de energia.”

“Eles [os biocombustíveis] fazem parte de nosso core business, é uma das prioridades em que decidimos colocar tempo e dinheiro.”

“O processo de compra e venda do biodiesel começa bem antes do trimestre [de entregas] e a Petrobras tem uma participação muito estreita junto à ANP e ao MME.”

Alísio Vaz

Presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom)

“Temos uma galinha dos ovos de ouro no programa do biodiesel e ninguém vai querer matá-la.”

“Consolidação não é tabu, só não podemos esquecer o consumidor nesse processo.”

“O impacto atual da mistura de biodiesel é de seis centavos por litro. Isso é 3% do preço final ao consumidor.”

José Luiz Orlandi

Diretor do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (IBP)

“Se alguém ainda tem dúvidas se as emissões de carbono são um problema, basta olhar paras as mudanças climáticas e as ondas de calor dos últimos anos.”

Paulo Miranda Soares

Presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis)

“O biodiesel alterou a nossa vida.”

“A drenagem do tanque de diesel que eu fazia de seis em seis meses eu passei a fazer mensalmente.”

“A ANP não foi sensível à nossa argumentação de que as autuações sobre o teor do biodiesel deveriam ser paralisadas enquanto esse problema não fosse resolvido. Ficou uma situação incômoda porque muitos revendedores honestos passaram a ser autuados.”

“O enxofre tem ação bactericida, então esse produto [o biodiesel] vai estar mais sujeito a formação de borras.”

“Nós não temos por que ser contra o programa. Eu sou comerciante, se for para vender B100, eu vou vender. Mas também não podemos pagar o pato sozinhos, porque a maioria dos donos de posto são pequenos empresários que não têm como arcar com o ônus.”

Daniel Furlan

Economista da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove)

“Temos uma verdadeira sangria na forma de exportação de soja em grão. Estamos mandando para fora uma matéria-prima que poderíamos processar internamente.”

“Os óleos vegetais tiveram um comportamento diferente quando eles passaram a ter um valor regulado pelo preço do diesel mineral, que varia com o petróleo.”

“Teremos excedentes de óleo entre 1,7 e 2,2 milhões de toneladas, o que permitiria aumentar a mistura para 10%.”

“O biodiesel pode ajudar a defender o processamento doméstico dessa matériaprima [a soja].”

Manoel Vicente Bertone

Secretário de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

“Esse é um esforço governamental enorme que envolve vários ministérios e conta com a atenção pessoal da presidenta Dilma. O programa de agroenergia proporciona maior segurança energética, soberania nacional e dignidade ao povo brasileiro nos mais distantes rincões do país.”

“O óleo de palma do norte do Brasil mostra que pode ser sustentável em relação aos nossos concorrentes. Enquanto eles baseiam a produção no desflorestamento, a nossa [indústria] refloresta.”

“O impacto da palma na agricultura familiar é fantástico. Ela permite uma qualidade de vida muito melhor e a ascensão a um novo nível de consumo.”

Manoel Teixeira de Souza Jr.

Chefe geral da Embrapa Agroenergia

“No Brasil nós temos uma grande estrela que é a soja. Ela tem mais de 80% da produção de óleo vegetal para biodiesel. Ainda precisamos de muita inovação para que outras oleaginosas se viabilizem como estrelas coadjuvantes nesse mercado.”

“Temos uma rede de avaliação de materiais de girassol, mas a produtividade ainda está bem aquém do que é registrado em outros países. Temos um caminho longo a avançar.”

“Essa planta [o pinhão-manso] ainda não está domesticada.”

“No banco de germoplasma, temos conseguido avanços importantes na produção de cultivares. Vamos conseguir colocar variedades melhores no mercado.”

Ricardo Dornelles

Diretor do Departamento de Energias Renováveis do Ministério de Minas e Energia

“Não vamos usar uma energia alternativa só porque ela é ambientalmente correta. Se ela também não for sustentável do ponto de vista econômico e social, ela também não vai ter o equilíbrio que precisamos.”

“O histórico do setor mostra que aumentar a demanda não resolve a ociosidade. Desde o começo do programa, a demanda cresceu 270%. Apesar disso, a capacidade ociosa sempre ficou em 50%.”

“Por que não há mais engajamento dos governos estaduais e municipais com a criação de mercados para o biodiesel? É função do governo federal garantir mercado cativo?”

“Os incentivos não foram o bastante para que a instalação da produção acontecesse nas regiões prioritárias do Norte e do Nordeste. Esse é um problema que precisamos enfrentar.”

“Não estou falando de mercado livre aqui, mas de um formato no qual os bons vendedores pudessem ser reconhecidos pelos compradores.”

“O custo da matéria-prima é basicamente o mesmo no Brasil, Argentina e nos Estados Unidos, então por que o Brasil não exporta? Claro que temos um problema tributário e a questão logística também é mais complicada, mas isso não depende só do governo, mas de ações coordenadas.”

José Vitor Bomtempo

Professor e pesquisador da Pós-graduação da Escola de Química/UFRJ

“Novos conceitos como o de biorrefinaria, que promove o aproveitamento integral da biomassa, apontam para uma indústria muito mais sofisticada.”

Rafael Menezes

Coordenador de biodiesel do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

“A participação das empresas nos incentivos do MCTI ainda é tímido.”

Ailton Domingues

Presidente da Bioverde

“Precisamos parar com a ideia de que esse [aumento da mistura] é o único caminho para o crescimento do setor. Existe um espaço enorme em outros mercados, mas como o setor está confortável, não avança neles.”

“Você não vê o setor engajado em levar o biodiesel para o setor elétrico. Também tem uma série de indústrias que poderiam usar o biodiesel como produto químico. Quem está buscando esses espaços?”

“Nós cometemos uma verdadeira afronta quando olhamos para a glicerina e os ácidos graxos como refugos de uma atividade mais nobre.”

“Exportação é algo importante para o qual ainda não nos mexemos.”

“Somos almofadinhas da Faria Lima tentando fomentar a agricultura no Tocantins. Há pouca chance de uma coisa assim dar certo.”

Georges Flexor

Pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento/INCT-PPED

“A emergência do setor não foi resultado da mão invisível do mercado, mas de iniciativas bastante visíveis de fomento à bioenergia por parte do governo.”

“A segurança energética é um bem público que não pode ser deixado apenas a cargo dos interesses privados.”

Marco Antônio Vianna Leite

Coordenador geral de biocombustíveis do Ministério do Desenvolvimento Agrário

“A gente já imaginava encontrar dificuldades ao longo do caminho, mas também tivemos avanços.”

“Esperamos ter mais de 90% das compras da agricultura familiar feitas via cooperativa dentro de dois anos.”

“Esse é um programa do Brasil. De todos nós. Daqui a mais alguns anos, espero que a intervenção do governo fique em patamares mínimos.”

Luiz Augusto Horta Nogueira

Professor titular da Universidade Federal de Itajubá

“Estamos fazendo com o biodiesel de soja o que criticamos nos Estados Unidos, que fazem etanol de milho. Investimos uma unidade de energia para conseguir duas.”

“Fala-se que precisamos diversificar as matérias-primas, mas a diversificação não é um fim em si. Precisamos diversificar em oleaginosas que façam sentido para a produção de biodiesel.”

“A Agência Internacional de Energia não acredita que o biodiesel vai ser competitivo depois de 2020.”

Sandro Silva

Técnico do Dieese

“Esse é um item [o diesel] que não tem impacto direto, mas que, indiretamente, entra na formação dos preços de praticamente todos os outros produtos e serviços. Só que isso é muito difícil de calcular porque o peso relativo do diesel varia demais em função do segmento observado.”

Dieter Bockey

Chefe da Divisão de Recursos Renováveis e Biocombustíveis da UFOP (Union for Promoting Oil and Protein Plants) na Alemanha

“As empresas interessadas em participar do mercado europeu têm que comprovar que cumprem todos os requerimentos técnicos [de redução das emissões].”

“Algumas das exigências que foram apresentadas para o biodiesel de soja e de colza poderiam paralisar toda a indústria europeia. Do meu ponto de vista, se toda a cadeia otimizasse suas emissões, poderíamos atender às demandas.”

Paulo Saldiva

Professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

“Nós perdemos 1,2 ano de expectativa de vida para cada 10 mg por metro cúbico [de material particulado no ar] e a concentração média de São Paulo no ano passado foi de 42 mg.”

“Se eu pudesse pegar o ar de São Paulo e trocar com o de Curitiba, os paulistanos viveriam três anos e meio a mais.”

“Todo mundo calcula quanto custa para mudar algo, mas pouquíssima gente percebe que também pagamos um preço para manter do jeito que está. Custa trocar o diesel pelo biodiesel? Certamente. Mas quanto isso produz de economia indireta na área de saúde?”

“Se calcularmos o ciclo do combustível só da usina até a bomba, estamos contando a história pela metade.”

Fernando Reinecke

Gerente de logística da Methanex

“Os caminhões rodam longas distâncias com metanol por estradas muito complicadas, por isso os caminhoneiros precisam estar bem treinados e os equipamentos em bom estado.”

André Noppe

Vice-presidente de marketing e vendas da Evonik

“Nós queremos que vocês produzam biodiesel de alta qualidade e de acordo com as normas, ao mesmo tempo em que usam diferentes matérias-primas e baixam seus custos de produção”

Fabrício Soto

Gerente de marketing & controlling de químicos industriais da BASF

“Saímos de uma base superpequena para nos colocarmos entre os maiores players do mundo. O sucesso não foi só local, mas global.”

Daniel Barreria Arellano

Presidente da Sociedade Brasileira de Óleos e Gorduras

“Os custos [das colunas de purificação do biodiesel] são menores e, como não usa materiais filtrantes que precisam ser descartados, também é ambientalmente amigável.”