025

23º Leilão: diferente, mas igual


Edição de Out / Nov de 2011 - 15 out 2011 - 11:27 - Última atualização em: 25 jan 2012 - 17:37
As regras mudaram como nunca, mas o resultado continuou o de sempre: pouca competição

Fábio Rodrigues, de São Paulo

No final das contas, as tão faladas mudanças nas regras do 23º Leilão de Biodiesel da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) não bastaram para modificar uma dinâmica que o setor já vinha mostrando em disputas anteriores: a falta de disputa entre as usinas, apesar do recorde de capacidade instalada. Realizado entre os dias 24 e 29 de agosto, o certame colocou em disputa 700 milhões de litros de biodiesel e garantiu o abastecimento do mercado no último trimestre de 2011.

O preço médio por litro de biodiesel sem o Fator de Ajuste Logístico (FAL) ficou em R$ 2,3054. Um deságio médio de 7,46% em relação ao preço de referência médio.

A divisão em lotes regionais só tornou mais evidente um comportamento competitivo consolidado em pregões anteriores. Como de costume, permaneceu a divisão entre os lotes exclusivos para empresas detentoras do Selo Combustível Social (no qual são arrematados 80% do volume posto à venda) e os lotes abertos para todas as usinas (os 20% restantes). Enquanto nos lotes com selo a disputa praticamente não existe, com poucos lances por item e valores colados no preço de referência, nos lotes sem selo o setor parte para o tudo ou nada. O maior termômetro é a diferença no deságio que a usinas aceitam nos lotes: nos itens com selo o deságio foi de 1,83%, enquanto nos itens sem selo chegou em 11,77%, isso antes de descontar o FAL.

O desenho da competição dentro do setor não alterou em quase nada, apesar da regionalização dos lotes e da introdução do fator de ajuste logístico. Olhando mais a fundo o comportamento do mercado em cada um dos lotes, é possível ver usinas que deixam de vender seu biodiesel por preços melhores nos lotes com selo para vendê-lo a preços bem inferiores um pouco mais tarde.

Apesar do ar controverso, uma enquete promovida no portal BiodieselBR durante a cobertura em tempo real do leilão revelou um grande apoio do setor em relação às novas regras criadas pelo Ministério de Minas e Energia para os leilões de biodiesel. Mais de 95% dos profissionais que acompanhavam a transmissão se declaram a favor das mudanças.