018

Brasil repete quarto lugar na produção mundial de biodiesel


Edição de Ago / Set de 2010 - 15 ago 2010 - 12:30 - Última atualização em: 19 jan 2012 - 12:02
Alice Duarte, de Curitiba

O Brasil ficou na quarta colocação no ranking mundial de produção de biodiesel do ano passado, mantendo a mesma posição de 2008, apesar da crise pela qual passaram Alemanha e Estados Unidos.

O resultado na Alemanha não foi tão ruim como o esperado pelos usineiros. Mas a surpresa ficou com a França, que desbancou os Estados Unidos na segunda posição. A indústria americana sofreu retração em 2009 devido à recessão econômica e à queda na cotação do petróleo.

Nos próximos anos haverá mudanças no cenário mundial. No primeiro trimestre deste ano, os EUA produziram apenas 377 milhões de litros contra 538 milhões do Brasil. Para 2011, a Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos anunciou que irá exigir que o mercado interno utilize 3,028 bilhões de litros de biodiesel.

A Argentina, por sua vez, criou uma demanda importante com a abertura do mercado interno. O país vizinho iniciou com o B5 no começo do ano, passou ao B7 em agosto e vai chegar ao B10 em dezembro. A previsão é que a produção este ano fique em 2,1 bilhões de litros, podendo atingir 2,9 bilhões de litros em 2011.

Para o Brasil, a previsão este ano é que a produção ultrapasse os 2,39 bilhões de litros, não somente pela elevação do percentual de mistura obrigatória para 5%, mas também pelo aumento do consumo interno de óleo diesel e pelo uso de percentuais maiores do biocombustível em frotas cativas. Em 2010, o Brasil briga com a França pela segunda posição no ranking.