015

Rafael Menezes: Crescimento


BiodieselBR.com - 18 fev 2007 - 16:04 - Última atualização em: 20 jan 2012 - 10:51
Revista BiodieselBR Por que ainda é tímido o volume de recursos privados em projetos de pesquisa tecnológica por meio de parceria entre universidades e empresas?
Rafael Menezes A indústria do biodiesel é muito jovem no Brasil. Não podemos esperar investimentos na mesma ordem de grandeza de outros setores, como o petroquímico ou sucroalcooleiro, por exemplo. Muitas das empresas que atuam no setor de biodiesel ainda estão buscando o retorno dos recursos financeiros investidos para iniciar a produção. Desta forma, espera-se que, à medida que as empresas se consolidem, haja aumento das parcerias envolvendo o repasse de recursos financeiros.

Existe alguma usina de biodiesel financiando ou auxiliando pesquisadores da Rede?
Rafael Menezes
Auxiliando financeiramente pesquisadores acredito que não. Mas indiretamente, sim, auxiliando os laboratórios, dando recursos para projetos por meio de parceria conjunta com MCT via Finep e CNPq. Exemplificando, existe uma parceria já há algum tempo entre a Fertibom e a UFRJ co-financiada pelo MCT (Finep). A Fertibom é a única empresa do Brasil que usa a rota etílica para fabricar biodiesel e já produziu e entregou mais de 60 milhões de litros para a Petrobras por meio dos leilões. Temos informações de que algumas usinas, tais como a Granol e a Agropalma, têm auxiliado em alguns projetos por meio do fornecimento de amostras de biodiesel que representam o produto que vem sendo disponibilizado ao mercado.

Quais são hoje, para a RBTB, os gargalos tecnológicos que precisam ser superados?
Rafael Menezes
Há a necessidade de ampliar a busca por novas fontes de matérias-primas graxas, de melhorar a tecnologia de produção de biodiesel a partir de matérias- primas de baixa qualidade e de agregar maior valor aos coprodutos gerados. Há ainda os estudos de impacto ambiental e econômico da produção de biodiesel e seus co-produtos.

A área de biodiesel tem atraído o interesse de uma legião de pesquisadores. Isso ficou mais evidente com a realização deste último congresso, com a apresentação de 485 papers. Como estão evoluindo os projetos e qual a expectativa para que esse conhecimento possa solucionar os principais gargalos técnicos da cadeia produtiva?
Rafael Menezes
Há excelentes trabalhos sendo realizados em todas as temáticas de estudo da RBTB. Há grande expectativa de que, em breve, algumas pesquisas já apoiadas possam efetivamente auxiliar na consolidação do programa de biodiesel, destacando-se dentre esses projetos aqueles que visam a produção de biodiesel etílico, o uso de catalisadores heterogêneos e alguns novos métodos de controle de qualidade, de estudo de estabilidade de biodiesel e de misturas Bx.

O nível das pesquisas é avançado? O Brasil está entre os países de ponta na produção científica do biodiesel?
Rafael Menezes
A produção de artigos e patentes em biodiesel vem aumentando no Brasil de forma excepcional, colocando o Brasil entre os grandes divulgadores de produção científica e tecnológica nessa área. Prova disso é o aumento exponencial de trabalhos que vêm sendo apresentados nos congressos da RBTB. Uma pesquisa em banco de dados científicos, como o do ISI, mostra que os nossos pesquisadores têm publicado artigos científicos sobre o tema biodiesel em quantidade e qualidade comparável, e até superior em alguns casos, aos seus pares de países como Estados Unidos e Europa. O Brasil também estará, nos próximos anos, se destacando na formação de recursos humanos especializados em biocombustíveis, já que, ainda em 2010, com o apoio da Casa Civil, do MCT e do MEC, terá início a oferta de um curso superior em Tecnologia de Biocombustíveis, o que, com certeza, será catalisador para a geração de patentes, que corresponde a uma importante conseqüência decorrente da formação em nível tecnológico.