009

Transporte: Carregamento


BiodieselBR.com - 05 mar 2007 - 15:05 - Última atualização em: 23 jan 2012 - 10:04
Carregamento

As grandes distâncias a serem percorridas pelo biodiesel até chegar ao seu destino final não são, porém, as únicas dificuldades da logística do produto. Há ainda outro problema: o atraso no carregamento do biodiesel nas unidades produtoras. “Os caminhões chegam a esperar de dois a três dias para serem carregados. Mas já foi muito pior. No primeiro semestre, os caminhões chegavam a esperar uma semana, por causa da falta de produto”, diz Vaz.

Essa época de pico coincidiu com a introdução da obrigatoriedade de se misturar 2% de biodiesel ao óleo diesel, no primeiro semestre de 2008. A lei foi criada, mas os componentes da engrenagem não estavam preparados para recebê-la. Mas se agora o excesso de demanda para pouca oferta de biodiesel não é mais o problema, por que esses atrasos continuam acontecendo? Responde Vaz: “Isso acontece por causa do atraso no faturamento (emissão de nota fiscal). Além disso, existem poucos pontos de carregamento nas instalações e muitos caminhões para carregar (o carregamento acontece por tubulações ligadas às bombas). Cada unidade tem no máximo um ou dois pontos”. Essa é outra questão que também precisa ser sanada.

E quando for introduzida a obrigatoriedade do B4 e do B5? “Ela não deve ser implementada antes que sejam atacadas as deficiências operacionais. É preciso vencer algumas etapas, aprimorar a eficiência do processo. Falamos disso em uma reunião com o governo, que concordou que não dá para darmos um novo salto sem que sejam feitos alguns deveres de casa”, diz Vaz.

As associadas do Sindicom, que respondem por 80% de distribuição de diesel no mercado, transportaram um bilhão de litros de biodiesel em 2008. A tendência é que esse volume cresça em 2009 se a quantidade total de diesel transportada se mantiver nos 38 bilhões de litros no ano passado. Mas há dúvidas se realmente isso vai acontecer, diante da desaceleração da economia.

Para o sucesso pleno do programa de biodiesel, os nós que emperram a logística precisam ser desatados, um a um. Certamente o governo poderia acelerar a otimização da logística relacionada à cadeia do biodiesel se melhorasse as condições básicas de transporte e criasse condições estruturais e legislativas para regionalizar a produção. E Lula ficaria muito mais inspirado para improvisar em seus discursos mundo afora sobre a matriz energética nacional.