008

Francisco Barreto: Mercado brasileiro de biodiesel


BiodieselBR - 07 jan 2009 - 12:58 - Última atualização em: 23 jan 2012 - 10:15
Francisco Barreto: Mercado brasileiro de biodiesel

Revista BiodieselBR Como o senhor avalia o mercado brasileiro de biodiesel?

Francisco Barreto Energia limpa é prioridade mundial e será sempre um bom negócio, principalmente com toda essa crise atual. Os investimentos para esta área no mundo inteiro não serão negligenciados. A necessidade de energia vai continuar e a substituição do petróleo por energia renovável também. Ao contrário do álcool, que foi desenvolvido primeiro pelo Brasil, o biodiesel é um produto que foi completamente dominado, em termos de tecnologia. E isso aconteceu ao mesmo tempo em vários países do mundo, com destaque para os países da Europa, que têm as melhores tecnologias. Mas do ponto de vista econômico, em relação à crise atual, o capital vai sumir e o mercado que está aí vai ser absorvido pelas empresas mais capitalizadas. A tendência é que as grandes empresas, que estavam em dificuldades, comecem a se consolidar no mercado. Acredito que as indústrias terão mais competência daqui pra frente para entrar no segmento.

Revista BiodieselBR O programa de biodiesel é atraente para novos investimentos?

Francisco Barreto O Brasil é um dos poucos países do mundo que tem essa possibilidade de substituir o diesel pelo biodiesel. Apesar do présal, o Brasil ainda é importador de diesel, então não vejo por que o país não ser uma grande fonte de biocombustível.

Revista BiodieselBR Como fazer para tornar esse mercado mais atraente?

Francisco Barreto
Uma das coisas que mais me intriga dentro da política energética brasileira é o fato das termoelétricas ainda não terem substituído o diesel pelo biodiesel. Eu acho isso um absurdo. Isso traria ao Brasil sustentabilidade e respeito no mundo todo. Todas as grandes máquinas de indústrias movidas a diesel representam um grande potencial ainda não explorado. Outra alternativa é a substituição de 100% do diesel nas empresas ferroviárias. Tem muito mercado que ainda não é aproveitado. O Brasil cresceu e com isso a demanda por diesel também aumentou. Nós não temos diesel suficiente e tivemos que importar mais de US$ 6,9 bilhões de combustível este ano [até setembro].

Revista BiodieselBR A situação da Brasil Ecodiesel pode interferir na consolidação do setor?

Francisco Barreto A Brasil Ecodiesel está entrando num processo de reformulação, acredito que para melhor. Eles precisam de um parceiro capitalizado para poder resolver o problema. Assim como a Brasil Ecodiesel, a Agrenco também pode se reerguer buscando novos sócios. O setor não será prejudicado porque temos boas empresas. Em Goiás temos a Granol e a Caramuru, que estão produzindo biodiesel com muita competência e profissionalismo. O mercado pode per feit amente ser suprido. Em dezembro vamos inaugurar nossa unidade. Houve um atraso de 90 dias porque estamos fazendo algo muito diferente das outras indústrias. É uma usina com capacidade para 200 mil toneladas/ano, que permite que se faça manutenção sem precisar parar a fábrica.