PUBLICIDADE
007

Notas sobre biodiesel


BiodieselBR - 04 nov 2007 - 15:58 - Última atualização em: 20 dez 2011 - 11:06

Vale e o biodiesel

A Vale finalmente confirmou que vai produzir biodiesel. A empresa espera implantar o uso de B20 em sua frota composta por 200 locomotivas. A confirmação do projeto aconteceu durante uma entrevista do presidente da empresa, Roger Agnelli, à jornalista Miriam Leitão no programa Espaço Aberto, da Globonews. “Nós estamos investindo na produção de biodiesel”, afirmou. De acordo com Agnelli, a Vale está “captando recursos no mundo inteiro para poder financiar este projeto [de produção de biodiesel]”. No entanto, a assessoria de imprensa da empresa ainda não comenta sobre o assunto.

Novo catálogo da indústria


Acaba de ser lançado o novo Catálogo da Indústria do Biodiesel 2008/2009, uma publicação do grupo BiodieselBR, mesma empresa que edita esta revista. A nova edição traz informações sobre mais de 450 empresas do setor em 124 categorias. Na edição anterior eram menos de 200 empresas. Este é um trabalho pioneiro e importante para um setor que quer se firmar no cenário energético mundial. notas ADM duplica a produção A Archer Daniels Midland Company, a ADM, vai aumentar a capacidade de produção da usina de biodiesel instalada em Rondonópolis (210 quilômetros ao sul de Cuiabá), de 500 mil litros por dia para um milhão de litros/ dia. A ampliação está prevista para 2009, possivelmente ainda no primeiro semestre. A usina de Rondonópolis está em funcionamento há menos de um ano. A indústria produz duas mil toneladas de óleo. Parte da produção é transformada nos 500 mil litros de biodiesel e o restante é refinado e vendido como óleo comestível. Como o projeto de ampliação ainda não está pronto, ainda não se sabe o valor total do investimento. A unidade consumiu US$ 35 milhões em investimentos para entrar em operação.

Infraero usará B20 em aeroportos


A Infraero, empresa que administra os aeroportos de todo o país, está com uma licitação aberta para adquirir B20. A instituição aguarda a autorização da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para implantar o uso dessa mistura nos veículos movidos a diesel dos aeroportos de Congonhas, Campinas e Guarulhos.

No final de agosto, a Infraero obteve a licença da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental de São Paulo (Cetesb) para fazer uso experimental do combustível B20 em todo o Estado de São Paulo. “Os níveis de poluição ambiental de São Paulo fizeram com que o Estado fosse o primeiro a ser beneficiado com a novidade”, afirma Valente.

Outra iniciativa da Infraero é o desenvolvimento de um ônibus híbrido movido a energia elétrica e biodiesel. Segundo a empresa, o motor a diesel do ônibus será acoplado a um gerador que irá manter as baterias do motor elétrico sempre carregadas.