PUBLICIDADE
007

Miguel Rossetto: matérias-primas da Petrobras


BiodieselBR - 04 nov 2007 - 15:00 - Última atualização em: 23 jan 2012 - 11:01
Revista BiodieselBR Quais as suas funções na Petrobras Biocombustíveis?

Miguel Rossetto Assumi a Diretoria de Desenvolvimento Agrícola, Suprimento e Comercialização. A responsabilidade da diretoria é assegurar o suprimento de óleo vegetal, matéria-prima para garantir capacidade de operação permanente e regular das plantas de biodiesel. A partir disso temos uma diretriz clara de priorizar o abastecimento a partir da agricultura familiar, tendo como teto mínimo a exigência do Selo Social. Queremos a partir desse trabalho auxiliar a organização produtiva dos pequenos produtores. Temos uma meta obrigatória para assegurar o Selo Social para a empresa: 50% nas unidades de Candeias e Quixadá e 30% na unidade de Montes Claros. Vamos trabalhar isso como piso. Queremos estender a relação de trabalho com os agricultores familiares da região. A meta estratégica é que 100% do abastecimento das usinas tenha como base o mercado regional. E nesse mercado regional vamos priorizar os pequenos produtores.

Matérias-primas


Revista BiodieselBR A Petrobras Biocombustíveis pretende utilizar quais matérias-primas?

Miguel Rossetto Hoje estamos estimulando a produção de mamona, girassol – que é uma grande promessa no curto prazo – e dendê, no sul da Bahia. E começamos a acompanhar o pinhão-manso. Isso é para o médio prazo. No curto prazo vamos trabalhar com óleo de soja, óleo de algodão e sebo bovino. Sempre buscando regularidade de entrega, qualidade da matéria-prima e preço. E competitividade.

Revista BiodieselBR
Há alguma idéia de quando a Petrobras irá começar a produzir biodiesel a partir de pinhão-manso?

Miguel Rossetto
Não. Por enquanto estamos apenas acompanhando essa experimentação.

Revista BiodieselBR As usinas têm reclamado que quando o preço do óleo sobe, acabam ficando sem a matéria- prima porque os produtores vendem para outros compradores. Como a Petrobras pretende evitar esse tipo de problema?

Miguel Rossetto
Queremos ter uma relação contratual de longo prazo com nossos parceiros e mecanismos de reajuste do preço que trabalhem com duas variáveis claras: custo de produção e mercado. Penso que a própria trimestralidade dos leilões da ANP cria um calendário mais aproximado e mais seguro para as empresas. Esses contratos de longo prazo estabelecem cláusulas garantidoras de preço, um preço justo que leve em consideração o custo de produção e variações de mercado. Os leilões estabilizam o mercado.

Revista BiodieselBR
Esses contratos de longo prazo são de cinco anos, dez anos? Já há agricultores contratados para esse período?

Miguel Rossetto Minha expectativa é trabalhar com contratos de cinco anos. Iniciamos o trabalho na safra 07/08 e estamos nos preparando para a renovação de contratos para a safra 08/09. Serão vinte mil produtores por unidade.

Revista BiodieselBR A Petrobras só vendeu biodiesel de duas unidades nos leilões da ANP. Então essa meta de 20 mil produtores é só para essas unidades?

Miguel Rossetto Não. Mesmo em Montes Claros queremos iniciar a produção em outubro e produzir ainda esse ano. Mesmo que não tenhamos vendido. Não sabemos quanto vamos produzir. A usina está em conclusão de montagem, por isso está difícil de fazer expectativa. E em Candeias e Quixadá vamos rodar e atender os oito mil metros cúbicos que vendemos no leilão. E estamos nos preparando para virar o ano já com carga plena. Portanto a nossa tarefa é assegurar suprimento para essa meta.