PUBLICIDADE
cremer cremer
Produção e consumo

Produção de biodiesel volta a se aproximar da marca dos 600 mil m³


Fábio Rodrigues - 26 nov 2021 - 10:47

Depois de ter deixado o mês de setembro passar em branco, as usinas de biodiesel parecem estar reagindo ao retorno do B12. De acordo com os dados mais recentes compilados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), os fabricantes reportaram a produção de 598,4 mil m³ de biocombustível no mês de outubro.

Esse volume é 4,1% maior do que o registrado em setembro. Com exceção dos meses de março e abril – únicos onde o B13 valeu de fato –, outubro teve o melhor nível de produção de biodiesel no ano.

É bem possível que o resultado esteja ligeiramente subdimensionado. Três usinas que têm estado ativas ao longo deste ano – 3Tentos, Prisma e Aliança – não divulgaram seus números em outubro. Juntas, essas usinas fabricaram uma média de 18 mil m³ por mês este ano.

{viewonly=registered,special}Depois de ter deixado o mês de setembro passar em branco, as usinas de biodiesel parecem estar reagindo ao retorno do B12. De acordo com os dados mais recentes compilados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), os fabricantes reportaram a produção de 598,4 mil m³ de biocombustível no mês de outubro.

Esse volume é 4,1% maior do que o registrado em setembro. Com exceção dos meses de março e abril – únicos onde o B13 valeu de fato –, outubro teve o melhor nível de produção de biodiesel no ano.

É bem possível que o resultado esteja ligeiramente subdimensionado. Três usinas que têm estado ativas ao longo deste ano – 3Tentos, Prisma e Aliança – não divulgaram seus números em outubro. Juntas, essas usinas fabricaram uma média de 18 mil m³ por mês este ano.

Vermelho escuro

Apesar da melhora, o mercado continua operando no vermelho.

Dados preliminares divulgados pela ANP indicam a venda de 5,62 milhões de m³ de óleo diesel B. Ignorando as vendas de diesel marítimo – que costumam representar aproximadamente 1,5% da demanda total –, seria necessária a produção de 674,8 mil m³ de biodiesel para cobrir o mercado.

A produção reportada ficou 76,4 mil m³ abaixo da meta. Esse foi maior déficit produtivo num único desde que a mistura de biodiesel se tornou obrigatória em janeiro de 2008.

Com mais esse resultado negativo, do déficit da produção superou a marca dos 155,5 mil m³. Isso praticamente esgota os saldos positivos acumulados pela indústria dos últimos quatro anos – entre 2017 e 2020 a produção de biodiesel superou o consumo em aproximadamente 159 mil m³.

Maiores

Em outubro, houve produção de biodiesel em 13 unidades da federação. O maior produto foi, mais uma vez, o Rio Grande do Sul com um pouco mais de 157 mil m³ fabricados – cerca de 2% menor do que em setembro.

O Mato Grosso foi o estado que mais aumentou a produção em outubro. No mês passado, as 10 usinas mato-grossenses que reportaram atividade fabricaram quase 94 mil m³ de biodiesel o que dá 12,4 mil m³ – 15,2% – mais do que em setembro.

A maior fabricante de biodiesel do mês de outubro foi a unidade produtiva de Lapa (PR) da Potencial Biodiesel. A planta paranaense colocou 70,2 mil m³ no mercado em outubro, alta de 8,4% em relação a setembro. Trata-se do maior volume de produção mensal já reportado por uma usina de biodiesel.

Com mais esse resultado, a usina da Potencial completou um ano inteiro na liderança do ranking mensal de produção de biodiesel. Em outubro passado, a planta se tornou a maior do país com capacidade instalada para fabricar até 900 mil m³ por ano; desde então ela vem se mantendo na dianteira.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com