Informações

Queimada que causou apagão no NE foi em fazenda símbolo do biodiesel


Agência Folha - 29 ago 2013 - 09:54 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

Segundo o Ministério das Minas e Energia, a causa do apagão que atingiu praticamente todo o Nordeste ontem (28) foi um incêndio na fazenda Santa Clara, no município piauiense de Canto do Buriti (393 km de Teresina). A fazenda no semiárido do Piauí foi um dos símbolos do fracasso do projeto de "biodiesel social" das gestões do PT no Planalto.

Trata-se de uma área de 17 mil hectares (ou 110 parques Ibirapuera, em São Paulo) que o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva propagandeou em 2005 como modelo do futuro dos biocombustíveis.

Na ocasião, animado com a perspectiva de produção de biodiesel de mamona, Lula até chorou ao discursar para agricultores familiares da fazenda, cedida pelo governo do hoje senador Wellington Dias (PT) à Brasil Ecodiesel, responsável pelo projeto.

Lula falou em uma "outra Petrobras" e citou promessas para a região até hoje não concluídas, como a ferrovia Transnordestina, a refinaria Abreu e Lima e a transposição do rio São Francisco.

"A gente pensava em plantar qualquer coisa, menos mamona. Agora, a gente está percebendo que a mamona pode ser uma das possibilidades para o povo pobre deste país melhorar de vida."

A empresa instalou 630 famílias na fazenda. A cada uma foi cedido uma casa e um lote, com 7,5 hectares para plantio de mamona.

A iniciativa naufragou nos anos seguintes na esteira da queda na produção de mamona e protestos de colonos. Endividada, a empresa parou de investir na mamona e liberou os agricultores em 2009 para plantarem apenas feijão. Em 2006, a usina de biodiesel da empresa usava 97% de óleo de soja e só 2% de mamona.

A firma, hoje Vanguarda Agro, não investe mais em biodiesel. Houve tentativa, sem sucesso, do governo do Piauí de repassar a área à União para reforma agrária.

Procurada, a Vanguarda Agro disse desconhecer as causas do incêndio. Afirmou que a área onde houve a queimada "está sob propriedade e responsabilidade" da companhia mantenedora das redes de transmissão e não integra o núcleo de produção da fazenda Santa Clara.

Segundo o prefeito de Canto do Buriti, Marcos Chaves (DEM), o local hoje abriga cerca de 300 famílias de assentados. Três linhas de transmissão passam dentro do local.

Mais de 400 ações de ex-trabalhadores da Santa Clara foram ajuizadas contra a antiga Brasil Ecodiesel.

Thiago Guimarães – Agência Folha
Com adaptações BiodieselBR.com