PUBLICIDADE
Informações

Potencial investe em tecnologia para o aproveitamento de ácidos graxos


BiodieselBR.com - 20 jul 2021 - 14:42

Dona da maior usina biodiesel do Brasil – com impressionantes 900 mil m³ de capacidade instalada –, a Potencial Biodiesel está investindo em uma nova tecnologia que vai permitir o reaproveitamento de 100% dos ácidos graxos residuais gerados durante seu processo produtivo. Chamada de glicerólise, a nova unidade vai permitir que a empresa converta o material em óleos que poderão, então, ser reincorporados à produção.

{viewonly=registered,special}Dona da maior usina biodiesel do Brasil – com impressionantes 900 mil m³ de capacidade instalada –, a Potencial Biodiesel está investindo em uma nova tecnologia que vai permitir o reaproveitamento de 100% dos ácidos graxos residuais gerados durante seu processo produtivo. Chamada de glicerólise, a nova unidade vai permitir que a empresa converta o material em óleos que poderão, então, ser reincorporados à produção.

Em resumo, a tecnologia usa vácuo e altas temperaturas para converter uma mistura de destilados de ácidos graxos e glicerina refinada – a empresa não informou em qual a proporção da mistura – em óleos com até 1% de acidez que pode seguir junto com o óleo virgem para o pré-tratamento e, depois, para os reatores de transesterificação.

“Basicamente fizemos a [unidade de] glicerólise para consumir a nossa própria produção de ácidos graxos, mas com alguma folga para absorver eventuais aquisições de ácidos graxos de outras empresas”, explicou o diretor industrial do grupo Luiz Carlos Bruzamolin Filho, acrescentando que a incorporação dessa nova tecnologia já constava do projeto de ampliação da usina de biodiesel de Lapa. “[Entramos em contato com essa tecnologia] em 2018, durante a fase de estudos para a implementação das novas fabricas”, prossegue.

A fornecedora da tecnologia para a Potencial Biodiesel foi o grupo italiano Desmet Ballestra.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com