PUBLICIDADE
Acidentes

Empresa vai regularizar bolivianos ilegais


Folha de S. Paulo - 14 mar 2012 - 08:56

O pesquisador e professor de química da USP de Ribeirão Preto Miguel Dabdoub comprometeu-se ontem a pagar a rescisão e a regularizar a situação ilegal dos bolivianos flagrados há oito dias na Biodiesel Brasil, empresa de Pradópolis ligada a ele.

Com isso, os bolivianos poderão optar por permanecer trabalhando com Dabdoub, com contrato formal, ou procurar novos empregos.

Se quiserem voltar para a Bolívia, os custos serão pagos pelo docente. O compromisso foi assumido em reunião no Ministério do Trabalho e Emprego em Ribeirão.

O valor do acordo será acrescido de multa porque foi constatado trabalho análogo à escravidão, diz o coordenador da ação Mário Tanaka. O valor não foi divulgado.

O promotor Flávio Okamoto já havia instaurado uma investigação para apurar crime de redução a condição análoga à escravidão.

A procuradora Regina Duarte da Silva, do Ministério Público do Trabalho, propôs o pagamento de R$ 2.500 por danos morais a cada um.

Caroline Tortoro, advogada de Dabdoub, disse que bloquearia o pedido.

Hoje os estrangeiros devem assinar as rescisões e regularizar a situação no país. Ontem, Dabdoub negou o crime e disse que as jornadas excessivas eram horas extras.

ELIDA OLIVEIRA

Tags: Dabdoub