Motores

Reino Unido proibirá venda de carros a gasolina e diesel em dez anos


AFP - 18 nov 2020 - 09:27

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, antecipou para 2030 a proibição de vender carros novos a gasolina e diesel no Reino Unido no âmbito da "revolução industrial verde", que pretende transformar em geradora de empregos.

O plano de dez pontos do governo conservador, que visa a "criar e sustentar" até 250.000 empregos, pretende desenvolver a energia eólica marinha, o hidrogênio para calefação e transportes, promover o carro elétrico, plantar milhares de hectares de árvores e se tornar em "líder mundial" em termos de captura e armazenamento de CO2.

Sob o risco de melindrar os defensores do meio ambiente, o plano contempla, ainda, a promoção da energia nuclear, informaram os serviços do primeiro-ministro em um comunicado.

Estas medidas permitirão ao Reino Unido, que sediará em 2021, em Glasgow, a conferência da ONU sobre o clima, a COP26, alcançar seu objetivo de zerar suas emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2050.

"Após consultas extensas com os fabricantes de automóveis, o primeiro-ministro confirma que o Reino Unido deixará de vender carros novos e novos utilitários à gasolina e diesel até 2030", segundo o comunicado.

Em fevereiro, Boris Johnson havia antecipado em cinco anos, para 2035, este objetivo. Agora, só as vendas de veículos híbridos serão autorizados até a data.

Esta "revolução industrial verde" mobilizará 12 bilhões de libras (15,9 bilhões de dólares) em investimentos públicos, dos quais 1,3 bilhão de libras será destinada à aceleração da criação de postos de carregamento para veículos elétricos.