Pesquisa

Embrapa Agroenergia inaugura laboratórios


Assessoria Embrapa Agroenergia - 29 mai 2012 - 10:44
Embrapa-Aniversario-290512A inauguração de um bloco com três pavimentos de laboratórios foi o grande destaque da comemoração dos seis anos da Embrapa Agroenergia, completados na última quinta-feira (24). “O setor de laboratórios da Embrapa Agroenergia é o ‘motor’ que esta ‘Ferrari’ precisava para poder cumprir em plenitude a sua missão de ‘viabilizar soluções tecnológicas inovadoras para o desenvolvimento sustentável e equitativo do negócio da agroenergia do Brasil, em benefício da sociedade’”, declarou o chefe-geral da instituição, Manoel Souza, durante a cerimônia de comemoração do aniversário.

Os espaços recém-inaugurados estão organizados em quatro unidades. O Laboratório de Biologia Energética foi equipado para o estudo da biodiversidade brasileira por meio da genômica, da genética molecular, da genética reversa, da fenotipagem de alta precisão, da bioinformática e da biotecnologia, com o objetivo de obter insumos para o aumento da eficiência de produção e de processamento de biomassa.

No Laboratório de Processamento de Matérias-primas Energéticas, processos químicos, enzimáticos ou fermentativos são desenvolvidos ou aperfeiçoados para transformar biomassa em biocombustíveis (líquidos, sólidos ou gasosos). Por sua vez, o Laboratório de Coprodutos e Resíduos atende às pesquisas para agregação de valor às diversas cadeias produtivas da agroenergia, mediante geração de produtos para a indústria alimentícia, de insumos, de biomateriais e de produtos químicos.

Qualidade
O quarto laboratório é a Central de Análises Químicas e Instrumentais que dá suporte analítico de referência às atividades de pesquisa da unidade e de parceiros, mediante execução de análises confiáveis e rastreáveis, seguindo um sistema de gestão de qualidade, conforme a ISO 17.025. “Na CAQ, como chamamos essa central de análises, realizamos prospecção físico-química de matrizes de interesse para agroenergia, como biocombustíveis, matérias-primas, intermediários de processo, bem como resíduos e coprodutos de sua geração”, explicou Manoel Souza.

O chefe-geral da Unidade disse, durante a cerimônia, que o trabalho nos laboratórios será conduzido por cerca de 60 empregados, além de pesquisadores visitantes e bolsistas de graduação e pós-graduação de universidades brasileiras e estrangeiras. “Associadas aos desafios, as oportunidades que se apresentam são inúmeras, exigindo de toda a equipe da Embrapa Agroenergia um compromisso ferrenho com o exercício do foco e da promoção da eficiência e da eficácia, no caminho da excelência”, ressaltou.

Souza fez questão de aproveitar a solenidade para agradecer publicamente à Embrapa Cerrados, à Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, à Embrapa Hortaliças e à Universidade Católica de Brasília por terem cedido seus laboratórios para que as pesquisas pudessem ser realizadas enquanto a estrutura da Embrapa Agroenergia não estava concluída. “Falo em nome de todos os nossos empregados quando aqui expresso os nossos mais sinceros agradecimentos a estas instituições irmãs e parceiras”, enfatizou o chefe-geral.

Acordos de Cooperação e Premiações
Durante a solenidade, foram assinados dois acordos de cooperação. O primeiro, com a empresa gaúcha Intecnial, permite o desenvolvimento de pesquisas em conjunto com a Embrapa nas áreas de biodiesel, biodigestão e aproveitamento de resíduos. O outro foi firmado com a Novacap e prevê a busca de alternativas para o aproveitamento energético dos resíduos de podas de árvores e manutenção dos canteiros de flores de Brasília, que geram diariamente 67m³ de madeira e 150m³ de galhos e folhas.

Ainda na solenidade, o Grupo de Pesquisa em Microbiologia Aplicada da Embrapa Agroenergia recebeu a premiação por excelência da Embrapa. “Nós entendemos que os microrganismos encontrados na biodiversidade brasileira reservam soluções para diversos setores, incluindo o de agroenergia. Esse grupo, no pouco tempo que tem, já conseguiu mostrar competência”, afirmou Manoel Souza.

Também recebeu o prêmio o grupo de estruturação física da Unidade, responsável pela construção da sede e dos laboratórios. Para o chefe-geral, “sem a dedicação e o empenho dessas pessoas, isso que nos estamos vendo aqui hoje, principalmente os laboratórios, não teria sido realizado. Com muita justiça, a Embrapa reconheceu o valor deles”. Uma homenagem especial foi dedicada à chefe-adjunta de Administração, Maria do Carmo de Morais Matias, pelo seu trabalho “incansável e produtivo” na fundação e consolidação da Unidade.

Opiniões
Diversas autoridades prestigiaram o evento que comemorou os seis anos da Embrapa Agroenergia. O presidente da Embrapa, Pedro Arraes, cumprimentou a equipe da Unidade pela conquista e destacou que a área de agroenergia necessita de muita inovação e parcerias. “Acho que a grande missão dessa equipe é consolidar esse portfolio de parcerias”, declarou.

O diretor de Pesquisa & Desenvolvimento da Empresa, Maurício Antônio Lopes, disse que “a equipe da Embrapa Agroenergia é bem jovem, mas já mostra capacidade e competência. Tudo o que se inicia em pesquisa só dá frutos depois um tempo muito longo, mas nós já percebemos resultados extremamente interessantes do trabalho dessa Unidade e do esforço de construção que vem sendo realizado aqui”. E completou: “Eu creio que essa unidade tem a sua missão bastante centrada nessa lógica da sustentabilidade, focando-se em energias renováveis, imaginando que, num futuro não tão distante, biomassa e agricultura vão trazer alternativas importantes, por exemplo, para a indústria petroquímica. Essa Unidade tem papel importante para os próximos passos que o Brasil precisa dar nesse segmento”.

Rodrigo Rodrigues, representante da Casa Civil da Presidência da República, concorda que o trabalho da Embrapa Agroenergia está diretamente relacionado à sustentabilidade.  “O potencial brasileiro para a produção de agroenergia e alimentos de forma sustentável, preservando o meio ambiente, é o grande desafio que se coloca para o Brasil neste momento. Faz parte desse desafio a ampliação das fontes de matérias-primas passíveis de serem convertidas em energia, conciliando-a com a produção sustentável de alimentos. Esse esforço, somado ao aproveitamento de coprodutos e resíduos, é que compreende todo o esforço da Embrapa Agroenergia, que vai permitir a superação dos gargalos para a produção sustentável de bioenergia”, explicou.

Também presente à cerimônia, o senador Rodrigo Rollemberg encerrou os discursos afirmando que “a agroenergia é o nosso pré-sal sustentável. Portanto, é de interesse nacional que esse Centro tenha todo o apoio necessário para que possa aprofundar a qualidade da pesquisa e ampliar as oportunidades para o Brasil e para os brasileiros”.     

Lançamento de publicações
Duas publicações foram lançadas pela Embrapa Agroenergia na cerimônia: os anais do Encontro sobre Metabolômica e a quarta edição da Agroenergia em Revista, com o tema biorrefinarias. Ambas estão disponíveis para consulta e download no endereço http://www.cnpae.embrapa.br/publicacoes-para-download.

Embrapa-Aniversario2-290512