Emissões

Biodiesel de soja brasileiro reduz em até 72% as emissões de CO2


Assessoria Abiove - 22 mai 2017 - 17:52

A troca do diesel mineral por biodiesel feito com óleo de soja brasileira pode reduzir de forma acentuada as emissões de gás carbônico. Essa é a constatação do estudo Assessing the greenhouse gas emissions of Brazilian soybean biodiesel production elaborado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) que mostra que o combustível renovável pode cortar as emissões de gases do efeito estufa (GEEs) entre 65% e 72% na comparação do com diesel fóssil.

O estudo utilizou dados de mais de 200 propriedades rurais dedicadas à sojicultura associadas à Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado do Mato Grosso (Aprosoja-MT) e de indústrias processadoras do grão afiliadas à Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). O levantamento foi realizado por encomenda dessas duas entidades em parceria com a União Brasileira da Biodiesel e do Bioquerosene (Ubrabio).

Segundo os autores, o mapeamento de cada etapa do processo de fabricação de biodiesel – do plantio da soja em grão ao transporte do biodiesel acabado – vai ajudar a identificar das principais fontes de Gases de Efeito Estufa (GEE) no sistema de produção de biodiesel de brasileiro e podem ser utilizados para orientar políticas públicas no sentido de torna-lo ainda mais limpo.

Metades

As a etapa agrícola é responsável por quase metade das emissões – entre 42% e 51% – envolvidas no processo produtivo do biodiesel. É o segmento mais representativo.

O estudo também indicou que rotas integradas de produção com o processamento da soja e a produção de biodiesel ocorrendo mesma unidade industrial gera menos emissões quando comparados à sistemas de produção onde as etapas acontecem de forma separa.

As emissões de GEE ao longo do ciclo de vida do biodiesel distribuído no mercado doméstico variaram de 23,1 a 28,8 gramas de gás carbônico equivalente (CO2eq) para cada megajoule de biodiesel. Já se o biocombustível for exportado para a União Europeia, as emissões variaram 26,5 a 29,2 gCO2eq.

De acordo com o pesquisador Carlos Eduardo Cerri, “o estudo sugere um alto potencial do biodiesel de soja em melhorar a sustentabilidade ambiental do sistema de economia de base biológica no Brasil, bem como em outros países importadores do biodiesel de soja nacional”.

O estudo foi publicado na revista científica PLOS ONE onde pode ser acessado na íntegra (em inglês).

Com adaptação BiodieselBR.com