Soja

Soja bate R$ 120 nos portos para setembro com dólar e Chicago em alta


Agência Safras - 01 jul 2020 - 10:46

Os contratos futuros da soja dispararam na Bolsa de Chicago e o dólar subiu nesta terça-feira, 30. Com isso, segundo a consultoria Safras, os preços internos da oleaginosa subiram bem no Brasil e a movimentação melhorou. “A saca chegou a ser cotada a R$ 120 nos portos para entrega em setembro”, informa.

De acordo com a consultoria, cerca de 300 mil toneladas trocaram de mãos, com destaque para volume de 100 mil toneladas no Paraná e outras 100 mil no Rio Grande do Sul. Em Santos também houve boa movimentação. Nas demais regiões, há pouca soja e o produtor elevou demais a pedida, afastando o comprador.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 111 para R$ 114,50. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 110 para R$ 114. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 114,50 para R$ 117,50.

Em Cascavel (PR), o preço aumentou de R$ 108 para R$ 110 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 114,50 para R$ 117.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 106 para R$ 109. Em Dourados (MS), a cotação passou de R$ 104 para R$ 105. Em Rio Verde (GO), a saca avançou de R$ 103,50 para R$ 105.

Mercado futuro

A soja fechou esta terça-feira com forte alta na Bolsa de Chicago. De acordo com a Safras, o mercado foi impulsionado pelo relatório de plantio do USDA, que indicou área abaixo do esperado.

“A boa alta de hoje ampliou os ganhos do mês para 4,5% e reverteu as perdas acumuladas no trimestre para +0,6%. No ano, no entanto, a posição novembro acumula baixa de 9,6%”, informa.

Os contratos da soja em grão com entrega em agosto fecharam com alta de 17,25 centavos ou 2% em relação ao fechamento anterior, a US$ 8,78 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 8,82 por bushel, com ganho de 20,75 centavos ou 2,4%.

Nos subprodutos, a posição agosto do farelo fechou com alta de US$ 5,50 ou 1,93% a US$ 289,10 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em agosto fecharam a 28,14 centavos de dólar, alta de 0,36 centavo ou 1,29% na comparação com o fechamento anterior.