Soja

Soja bate em R$ 100 no disponível do Rio Grande do Sul


Agência Safras - 20 mar 2020 - 10:06

O mercado brasileiro de soja apresentou preços firmes e boa movimentação nesta quinta-feira, 19. O dólar acima de R$ 5 e a alta de Chicago motivaram os vendedores, principalmente no Paraná, no Rio Grande do Sul e em Mato Grosso. De acordo com a consultoria Safras & Mercado, ao menos algo entre 1 milhão e 1,5 milhão de toneladas foram negociadas no dia.

No disponível de Rio Grande o preço bateu em R$ 100 a saca. Para venda futura, a saca permaneceu em R$ 102 para julho agosto. Em outros estados, entretanto, os compradores saíram do mercado, devido aos altos valores praticados.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 93 para R$ 93,50. Na região das Missões, a cotação seguiu em R$ 93. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 98 para R$ 100. Em Cascavel (PR), o preço aumentou de R$ 90 para R$ 90,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca pulou de R$ 97,50 para R$ 98.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 84 para R$ 86. Em Dourados (MS), a cotação saltou de R$ 82,50 para R$ 83. Em Rio Verde (GO), a saca avançou de R$ 81,50 para R$ 83,50.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços acentuadamente mais altos. Compras técnicas e expectativa de retomada das exportações americanas, em decorrência da recente queda nos preços, sustentaram as cotações.
Uma série de fatores contribuiu para a elevação. Entre eles, destaque para a perspectiva de maior compra de farelo pelos fabricantes de ração, a alta consistente do petróleo e o fechamento de alguns portos argentinos, tornando a oferta ainda mais apertada.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com alta de 17,75 centavos ou 2,15% em relação ao fechamento anterior, a US$ 8,43 1/4 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 8,48 por bushel, com ganho de 15,25 centavos ou de 1,83%.