Soja

Plantio de soja em MT está quase concluído


Valor Econômico - 23 nov 2020 - 11:00

Após iniciar a safra 2020/21 a passos lentos por causa do atraso nas chuvas, o plantio de soja em Mato Grosso, principal Estado produtor da cultura no país, alcançou na última semana a mesma área semeada em igual período do ciclo passado.

Segundo dados divulgados na última sexta-feira pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o plantio avançou 4,41 pontos percentuais na semana, atingindo 98,47% da área estimada em 10,2 milhões de hectares para o Estado. No mesmo período da safra 2019/20, 98,40% da área havia sido semeada. A média para o período é de 95,85% nos últimos cinco anos.

Apesar da recuperação do plantio, o atraso pode deixar sequelas. “Não lembro de um atraso tão grande. A maioria dos produtores plantou soja atrasado. O plantio ocorreu de 20 a 30 dias mais tarde e diminuirá a produtividade da soja, além de impactar fortemente na segunda safra do milho”, afirmou o presidente da Aprosoja-MT, Antônio Galvan.

O Imea estima uma colheita de 35,8 milhões de toneladas da oleaginosa em Mato Grosso, com produtividade média de 58,03 sacas por hectare. “A menos que aconteça um milagre, o resultado não deve ser igual ao ano passado. O plantio é muito determinante para a produtividade, e é fundamental que seja feito na janela ideal - que terminou no fim de outubro”, ponderou o presidente da Aprosoja. Na safra passada, Mato Grosso colheu 35,4 milhões de toneladas de soja, com uma produtividade de 59,09 sacas por hectare, segundo o Imea.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que o Brasil terá uma safra recorde, de 134,9 milhões de toneladas, neste ciclo 2020/21, “Vamos torcer que seja melhor do que esperamos, mas não acreditamos que atinja o número da Conab”, afirmou Galvan.

Marcela Caetano e Naiara Albuquerque – Valor Econômico