Soja

Para consultoria, produção de soja do Brasil pode ser reduzida devido ao clima


Canal Rural - 01 dez 2020 - 10:01

Os problemas climáticos que estão atrasando o plantio da soja no Brasil, já começam a trazer preocupação em relação ao potencial da safra 2020/2021. Segundo o presidente da consultoria de mercado Agroconsult, André Pessôa, as perspectivas já apontam para um viés de baixa na produção de soja do país.

Por enquanto, ele ainda não diminuiu a sua perspectiva inicial de 133,2 milhões de toneladas, mas acredita que isso será revisto nos próximos relatórios.

“Ainda mantemos essa expectativa, mas com viés de baixa. Ou seja, é muito provável que nos próximos relatórios, com as novas coletas de campo, esse número seja revisado para baixo. Isso por conta das condições desfavoráveis nos três principais estados produtores de soja do país: Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul. Quando esses grandes têm problemas, acabam desviando bastante a média brasileira de produtividade”, afirma o especialista.

Segundo ele, o alto potencial inicial da produção nesta safra se dá por duas razões principais: o aumento na área da soja e a recuperação da produtividade no Rio Grande do Sul, que registrou forte quebra em 2019/2020.

“O país ainda terá esse grande potencial de produção graças à área recorde de plantio de 38,4 milhões de hectares, quase 4% de alta ante a safra de 2019. Parte disso também se deve a produtividade um pouco maior, no qual parte disso vem através da recuperação do Rio Grande do Sul, que no ano passado colheu apenas 36 sacas de soja por hectare na média”, diz Pessôa.

Mas o clima, principalmente os efeitos da La Niña, voltam a colocar o Rio Grande do Sul em uma posição de preocupação, afirma o presidente da consultoria Agroconsult.

“Se o estado voltar a ter a produtividade normal, pois ainda é cedo para prever perdas significativas, embora haja uma preocupação devido o clima, o país pode registrar uma produtividade média de 57,9 sacas por hectare, contra as 56,6 sacas de 2019”, conta ele.

Segundo Pessôa, de maneira geral, o desenvolvimento das lavouras estão piores em alguns estados do país.
“Já identificamos várias regiões com condições de desenvolvimento das lavouras bem piores que no ano passado, como em Santa Catarina e boa parte do Rio Grande do Sul. No caso de Mato Grosso, a única região que está com condições dentro do esperado é o leste do estado. Nas demais, como médio-norte, oeste e sudeste, o desempenho é pior que o esperado”, afirma o especialista da consultoria.