Óleo de cozinha

Gerdau lança programa de reciclagem de óleo de cozinha


Diário do Comércio - 22 mar 2018 - 14:17

Nessa segunda-feira (19) foi realizado o lançamento do programa Bionergia Social na cidade mineira de Ouro Branco. A iniciativa é uma parceria com a startup BChem Biocombustíveis, que participa do Acelera Mestrado e Doutorado da Fiemg Lab. O programa tem o intuito de orientar a população sobre os problemas causados pelo descarte incorreto do óleo, gerar emprego e renda, bem como produzir energia renovável a partir da coleta do material e posterior transformação em biodiesel.

As cidades que recebem o programa, neste primeiro momento, são: Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Itabirito, Moeda, Ouro Branco e Ouro Preto. Depois, o programa será expandido para Belo Vale, Mariana e Santana do Paraopeba.

Em sua primeira fase, o Bionergia Social desenvolverá uma série de atividades educacionais com a comunidade das cidades onde será implementado. Escolas, estabelecimentos comerciais, associações e outras entidades vão receber palestras de conscientização sobre as consequências do descarte incorreto do óleo – seus efeitos em redes de esgoto, represas, rios, oceanos e solo. Com isso, ocorrem entupimentos e altos níveis de poluição, o que compromete a cadeia alimentar aquática, eleva pragas urbanas (ratos e baratas), problemas de higiene e mau cheiro, além de causar danos irreparáveis ao meio ambiente.

Restaurantes, bares, pastelarias, padarias, hospitais, escolas e outros estabelecimentos interessados poderão se cadastrar, por meio da página do Facebook do programa para receberem gratuitamente um coletor de óleo e se tornarem ponto de coleta. O material coletado será processado pela Bchem.

Na segunda etapa, com previsão para o segundo semestre de 2018, terá início a produção do biodiesel, por meio de um processo inovador, que não gera resíduos. O combustível será utilizado em equipamentos da Guerdau.

A estimativa de produção de óleo de soja no Brasil para 2018 é de 8,5 milhões de toneladas, segundo informações da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). Desse montante, menos de 1% é reciclado.

Cada litro de óleo despejado diretamente no meio ambiente contamina até 25 mil litros de água. No processo de tratamento de água para consumo, o descarte incorreto do óleo representa um aumento em até 45% do custo.