Óleo de cozinha

Brasília transformará óleo de cozinha usado em biodiesel


Agência Brasília - 28 jan 2014 - 13:03 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
Brasilia OGR_280114
A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) vai lançar uma campanha para coleta e reciclagem de óleo de cozinha usado. Batizada de "Óleo na pia, nem pensar!", a iniciativa será anunciada oficialmente na próxima terça-feira (04). Todo o material recolhido será transformado em biodiesel.
 
A campanha tem o objetivo de motivar a população a armazenar, em garrafas PET, o óleo de cozinha usado e entregá-lo nos Pontos de Entrega Voluntária (PEV), que serão inaugurados até o final de fevereiro em 14 escritórios da Caesb. "A ideia é fazer uma coleta seletiva, evitando que esse poluente entre na rede", afirmou o superintendente da Unidade de Monitoramento e Informações de Recursos Hídricos da Caesb, Fernando Starling.

O óleo consumido nos domicílios brasileiros costuma ser despejado em ralos, pias e vasos sanitários o que provoca entupimento nas instalações de esgoto. Quando chega às redes de coleta de esgoto, mistura-se a restos de lixo jogados indevidamente pela população e forma uma barreira rígida de sujeira, uma das grandes causadoras de transbordamentos.

"Cerca de R$ 500 mil são gastos por ano em manutenção por conta do óleo. Além disso, o tratamento da água contaminada por esse resíduo fica mais caro. Cada litro de óleo encarece R$ 0,25 no tratamento de esgoto. Com a campanha vamos reduzir esses custos", ressaltou Starling.

O entupimento não é o único prejuízo causado pelo óleo de cozinha. Quando lançado nos rios, contamina a água e prejudica a oxigenação das plantas aquáticas e peixes.

Biodiesel
Todo o óleo recolhido será utilizado na produção de biodiesel com parte de uma parceria entre a Caesb e a Embrapa Agroenergia. O combustível fabricado será utilizado para abastecer veículos das duas empresas, inclusive os carros que farão o transporte do próprio óleo doado.

A usina que fará a conversão está em fase final de construção e teve R$ 2,4 milhões de investimento provenientes da Fundação de Inovação e Pesquisa (Finep).

Vaneska Freire - Agência Brasília
Com adaptações BiodieselBR.com