PUBLICIDADE
cremer cremer
Óleo de cozinha

Biotechnos lança projeto de incentivo à reciclagem do óleo usado para Copa 2014


BiodieselBR.com - 18 set 2012 - 11:16 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
biotechnos oleo_reciclado_180912
Em 04 de setembro, o Ministério do Esporte anunciou as iniciativas que farão parte do Programa de Promoção do Brasil na Copa do Mundo 2014, entre elas está um projeto focado no reaproveitamento de óleo de cozinha usado na produção de biodiesel desenvolvido pela empresa gaúcha Biotechnos. Chamado Bioplanet, o projeto tem entre seus objetivos gerar inclusão social e conscientizar a população sobre a importância do descarte correto do material.

A cerimônia que vai oficializar a aprovação está programada para a segunda quinzena de setembro. O Projeto Bioplanet tem seu início previsto para o final deste ano.
Durante sua implantação serão instalados quarenta postos de coleta de óleo usado nas cidades sede da Copa do Mundo Brasil 2014. Segundo a presidente do conselho administrativo da Biotechnos, Márcia Werle, o Bioplanet prevê produção inicial de quinhentos mil litros de biodiesel mensais. A expectativa é chegar a um total de aproximadamente 25 milhões de litros até a Copa de 2014.

Os postos de coletas do óleo usado devem ser implantados até final de 2013. O ponto de partida para a instalação desses locais será a lista das cidades sede da copa das confederações que acontece no ano que vem.

“Todo o óleo de cozinha arrecadado será reciclado e transformado em biodiesel. Nosso intuito é fazer com que esse biocombustível seja usado não para o funcionamento dos geradores dos estádios, mas também nos carros das delegações, nos ônibus de turismo e nos tratores que garantem a limpeza das praias do Rio de Janeiro”, esclarece Márcia.
Além disso, dez mil profissionais catadores serão capacitados para que o óleo usado seja manuseado da forma correta. Segundo Márcia, faz parte dos planos estender essa capacitação para outros materiais recicláveis.

Parte da divulgação da ação ficará por conta de três milhões de estudantes de escolas públicas e privadas das cidades sede da Copa do Mundo 2014. “Através das Secretarias do Meio Ambiente e Educação das cidades, esses jovens vão ficar a par do funcionamento do projeto e posteriormente poderão ensinar aos seus pais, amigos e vizinhos como é simples fazer o descarte correto do óleo de cozinha”, conta a executiva.

Ainda de acordo com a presidente do conselho da empresa, não há dinheiro público para o projeto, mas existe a perspectiva de parcerias com empresas privadas que ainda estão em fase de negociação. “Esperamos que esta questão e detalhes como a ordem de implantação dos postos nas cidades sede da copa das confederações sejam estabelecidos após o evento oficial que vai acontecer nos próximos dias”, finaliza Márcia.

Renata Alves - BiodieselBR.com