Mamona

Técnicos do governo vão a Israel estudar melhorias para a mamona


. - 03 nov 2011 - 07:31 - Última atualização em: 29 fev 2012 - 12:35

Técnicos do Ministério da Integração Nacional se reuniram nesta terça-feira (1/11) com representantes da Evogene Company, empresa de melhoramento genético de plantas. A proposta é expandir e qualificar, com apoio da Embrapa, os estudos sobre a mamona como alternativa na produção de biocombustível no semiárido nordestino.

Outras culturas estão sendo avaliadas, como é o caso do agave, uma planta destinada à produção da tequila (bebida tradicional do México). Alguns estudos feitos na Austrália apontam que a produtividade de etanol por hectare à base de agave é bastante superior à cana-de-açúcar, chegando a dobrar.

O ministro Fernando Bezerra Coelho, juntamente com o secretário nacional de irrigação Ramon Rodrigues e técnicos do Ministério da Integração Nacional estão em missão oficial em Israel para trocar e coletar experiências no setor de irrigação e infraestrutura hídrica. O governo federal anuncia em breve um programa para implantar 200 mil hectares de perímetros irrigados no semiárido.

"Essas intervenções do ministério fazem parte do esforço para aumentar a oferta de culturas nas áreas dos perímetros públicos controlados pela Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba) e do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas)", explica o ministro Fernando Bezerra Coelho.

"As pesquisas já estão bastante avançadas tendo a Evogene, inclusive, instalado campos experimentais no Maranhão, no Ceará e na Bahia", acrescenta Ramon Rodrigues.

A  empresa tem foco na definição do genoma de certas espécies vegetais, com o objetivo voltado para três aspectos:  potencializar as melhores características produtivas; permitir melhores práticas de cultivo ligadas a mecanização agrícola e melhores respostas no uso de defensivos agrícolas.

Fonte: Globo Rural