Dendê / Palma

Malásia e Indonésia devem questionar na OMC plano da UE para limitar palma


Estadão Conteúdo - 18 jul 2017 - 12:00

O governo da Malásia anunciou que planeja, junto com a Indonésia, levar para a Organização Mundial do Comércio (OMC), o plano da França e União Europeia de impor barreiras à importação do óleo de palma.

No início de julho, o ministro francês do Meio Ambiente, Nicolas Hulot, apresentou a proposta de limitar a importação de óleo de palma, para reduzir o desmatamento nos países de origem do produto. O projeto foi apresentado poucos meses após o Parlamento Europeu demandar que a União Europeia tomasse medidas para reduzir o uso de biocombustíveis de óleos vegetais produzidos de forma não sustentável, incluindo o óleo de palma.

Representantes dos governos da Malásia e Indonésia vão se reunir neste mês para “discutir e coordenar” questões envolvendo as transações de CPO. Os países devem realizar uma missão conjunta na Europa para dialogar “com partes interessadas no tema e investidores”.

A medida anunciada pela França não deve ter um impacto tão forte sobre a indústria de óleo de palma na Malásia. As exportações para a França no primeiro semestre deste ano foram de apenas 497 toneladas, 0,05% das exportações totais para a UE, segundo números oficiais do governo da Malásia.

A preocupação, entretanto, é de que outros países do bloco resolvam seguir os passos da França, principalmente Holanda, Itália, Espanha e Suécia, que responderam por 87% das exportações da commodity para a UE no primeiro semestre.