Em Foco

Bianchini inaugura usina de biodiesel em até 60 dias


. - 12 jul 2011 - 12:51 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:17

A planta de biodiesel que a Bianchini Indústria, Comércio e Agricultura está instalando no município de Canoas deverá iniciar suas atividades em até 60 dias. Conforme o diretor-superintendente da companhia, Arlindo Bianchini, a meta do grupo é participar ainda neste ano de leilão de comercialização de biocombustível que será promovido pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O complexo terá uma capacidade de produção de aproximadamente 900 mil litros ao dia.

A principal matéria-prima empregada na fabricação do biodiesel será o óleo de soja, porém também poderá ser utilizado sebo na mistura. No final do ano passado, a estimativa de investimento na usina era de cerca de R$ 70 milhões. Bianchini revela que hoje o montante passou para algo em torno de R$ 90 milhões. O dirigente explica que os gastos aumentaram, principalmente, devido à questão ambiental, já que é necessário o tratamento de efluentes, entre outras ações. Bianchini é um dos defensores da elevação da adição do biodiesel na fórmula do óleo diesel (hoje limitada a 5%) como forma de desenvolver o mercado daquele produto. Ele recorda que a capacidade instalada de produção é atualmente muito superior à demanda do biocombustível. O executivo acredita que o governo “desacelerou” um pouco o programa de biodiesel devido a considerações de agentes do setor de transporte que afirmavam que o aumento do uso do biocombustível poderia causar problemas no funcionamento de motores.

A questão da qualidade foi um dos temas abordados em reunião realizada na semana passada entre integrantes da ANP e da União Brasileira do Biodiesel (Ubrabio). O presidente-executivo da Ubrabio, Odacir Klein, relata que na ocasião o diretor-geral da ANP, Haroldo Lima, manifestou que se os 5% estivessem causando dificuldades aos motores dos veículos, tantas empresas (como, por exemplo, a Vale) não estariam querendo aumentar a mistura em até 30% para abastecer seus ônibus e caminhões. No encontro, a Ubrabio entregou uma carta na qual reafirma o interesse em estreitar a parceria em prol do programa de biodiesel. Foram debatidos ainda três pontos principais: um novo marco regulatório para o setor, apoio para a implementação do B20 Metropolitano (20% de adição de biodiesel) nas grandes capitais brasileiras e maior atuação pra garantir a qualidade do biocombustível. A ANP adiantou que contratará uma empresa certificadora independente para avaliar o biodiesel desde a produção até os postos de combustíveis.

Klein também sustenta a necessidade de aumentar a mistura de biodiesel no óleo diesel. Ele salienta que a demanda atual do produto no Brasil é de cerca de 2,6 bilhões de litros ao ano e a capacidade instalada das usinas é de aproximadamente 6 bilhões de litros anuais. Contudo, o dirigente enfatiza que o incremento não pode ser realizado de um modo apurado e sem diálogo entre companhias e poder público. “O governo está aberto para discutir, mas não quer ser pressionado, não adianta querer levar no grito”, conclui Klein.

Jornal do Comércio/RS

Tags: Bianchini