PUBLICIDADE
Univaldo Vedana

Biodiesel com Óleo de Cozinha: Inclusão social também nas cidades


Univaldo Vedana - 07 fev 2007 - 22:22 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:23

A produção de biodiesel utilizando óleos de cozinha usado, principalmente em cidades com mais de 200 mil habitantes será uma boa alternativa para quem quiser produzir biodiesel, sem grandes investimentos, mas com muita determinação, planejamento, espírito cooperativo e aberto a parceiras com prefeituras e empresas de saneamento, associações de moradores ou cooperativas de reciclagem.

O investimento em uma usina que utiliza este tipo de matéria prima é menor, pois não serão necessários equipamentos de extração de óleo e nem silos para estocar grãos e torta, embora sejam necessários tanques adicionais para a estocagem dos óleos recebidos, equipamentos para a purificação e limpeza, filtros, equipamentos para a padronização e secagem dos óleos recebidos.

{sidebar id=3} Falar em coleta de óleos usados é fácil. Operacionalizar esta coleta com boa logística e custos compatíveis, não é tão simples como parece. São necessários um ou mais caminhões ¾ equipados com tanque, bomba, plataforma, juntamente com dois trabalhadores em cada conjunto. Recolher o óleo usado em restaurantes e outros estabelecimentos do gênero é mais fácil, as quantidades de óleo são maiores e atualmente estes estabelecimentos já trocam o óleo usado por algum insumo que utilizam (detergente). O problema maior está no recolhimento do óleo usado em residências. A dona de casa que nas últimas décadas despejou o óleo usado no ralo, precisará mudar seus conceitos, será necessária uma mudança de hábitos, uma reeducação.

Esta mudança de hábito ou reeducação é uma tarefa que exige muito trabalho e tempo, e não pode ser assumida pelo empresário. A educação é uma atribuição do Estado, por isto são necessárias as parcerias com prefeituras. Elas possuem secretarias específicas que já cuidam da educação, ficando mais fácil organizar campanhas nas escolas, nas associações de mães, de bairros, em cooperativas de reciclagem e têm acesso fácil aos meios de comunicação para divulgar e fazer campanhas de massa se necessárias.  

Existem mil maneiras para incentivar as famílias a separarem o óleo usado. Talvez a mais importante seja a de oferecer a troca de “x” litros de óleo usado por um litro de óleo novo. Quando se mexe no bolso das pessoas é mais fácil alcançar o objetivo. Campanhas de coleta de óleo usado nas escolas poderão ser feitas dando incentivo aos alunos, trocando por exemplo, um litro de óleo usado por um lápis, uma caneta , uma borracha, por um caderno ou qualquer outro objeto que seja interessante para as crianças.
{sidebar id=13}
Parcerias com as associações de bairros e cooperativas de reciclagem de lixo farão com que a coleta de óleo usado seja mais uma fonte de renda para os associados destas cooperativas.

As empresas de saneamento e de tratamento de esgotos também devem ser chamadas a participar ativamente de um projeto deste tipo, pois com a diminuição de óleo na rede de esgoto terão menos trabalho no seu tratamento e uma redução de custo.

O óleo usado que vai para a rede de esgotos alimenta ratos, baratas e outros transmissores de doenças, aumentado gastos com a saúde pública, além de poluir águas e mananciais, por isto a necessidade ambiental do recolhimento. O aproveitamento deste óleo para biodiesel traz vantagens ambientais e econômicas importantes e gera aumento de empregos e renda para uma camada da população principalmente na periferia das grandes cidades.

A importância da coleta seletiva deste óleo também deveria ser melhor tratada no âmbito federal, com alterações do decreto 5297, que dá reduções de até 100% do PIS/COFINS apenas às indústrias de biodiesel que utilizam oleaginosas produzidas pela agricultura familiar. Este benefício deveria ser estendido para as usinas que produzirem biodiesel com óleos de cozinha usados, oriundos da coleta seletiva de cooperativas de reciclagem, associações de bairros, ou outras do gênero, pois existem mais brasileiros abaixo da linha de pobreza nas cidades do que no campo. Desta maneira o biodiesel promoveria a inclusão social também em zonas urbanas.

Univaldo Vedana é diretor da BiodieselBR.com e responsável pela primeira fábrica de biodiesel do país abrangendo todo o processo de produção.