Miguel Angelo

As importantes mudanças para o 20º leilão de biodiesel


Miguel Angelo Vedana - 08 nov 2010 - 10:05 - Última atualização em: 07 mar 2012 - 18:45

No próximo dia 17 será realizado o 20º leilão de biodiesel da ANP. Apesar da demanda continuar sendo de B5 e o sistema usado ainda ser o Comprasnet, vários pontos foram alterados e devem deixar a disputa ainda mais acirrada. Veja abaixo as principais alterações e algumas considerações sobre o leilão:

Total de itens
O número de itens do leilão diminuiu. No leilão 19 eram 257 itens, sendo 152 no lote 1 (exclusivo para quem tem o selo Social) e 105 no lote 2 (para todas as usinas). Agora serão 199 itens no total, com 112 no lote 1 e 87 no lote 2. Essa diminuição acontece porque o tamanho dos itens mudou. O item de maior volume passou a ser de 15 milhões de litros, e também será comprado biodiesel em itens de 7,5 milhões de litros, 3 milhões de litros e 2,5 milhões de litros, volumes até então inéditos.

Itens abertos
Nos dois primeiros pregões eletrônicos de 2010, o pregoeiro podia abrir até quatro itens simultaneamente. No último leilão esse limite foi alterado para cinco. No próximo, a quantidade máxima recebeu novo aumento e até de seis itens poderão ser leiloados ao mesmo tempo. Essa mudança dificulta o trabalho das usinas, que precisam acompanhar, analisar e ofertar um número maior de itens. Isso acaba requerendo mais pessoas trabalhando pelas usinas e melhores ferramentas para o acompanhamento do certame.

Demanda de biodiesel
O volume de biodiesel que será adquirido diminuiu. Será arrematado apenas 600 milhões de litros, 15 milhões a menos que no último leilão. O motivo é que no primeiro trimestre do ano consumo de diesel é sempre menor.

Oferta de biodiesel
Além do volume comprado pelo leilão ser menor, a oferta de biodiesel está maior. Apesar de nenhuma nova usina ter entrado nesse leilão, três usinas foram ampliadas. Fertibom, Petrobras (BA) e Oleoplan ampliaram suas capacidades e com isso o volume de biodiesel disponível no 20º leilão será 59,4 milhões de litros maior. O total de biodiesel que pode ser ofertado na próxima semana é de 1,04 bilhões de litros.

Ferramenta exclusiva
A BiodieselBR desenvolveu um aplicativo que permite acompanhar em detalhes o leilão do próximo dia 17. Para comprar o acesso a ferramenta e saber mais detalhes clique aqui. (.PDF)


Fechamento aleatório
Quem já acompanhou um leilão pelo ComprasNet sabe que depois de aberto um item ele é colocado em fechamento aleatório pelo pregoeiro. Em teoria significava que o item poderia fechar a qualquer momento dentro de 30 minutos. Na prática isso não acontecia e ele sempre fechava perto do tempo limite de 30 minutos. Isso mudou. Nesse leilão já estará em funcionamento um novo sistema do ComprasNet que faz com que os itens fechem realmente de forma aleatória. Dessa maneira um item pode encerrar a qualquer momento dentro dos 30 minutos de fechamento aleatório.

Preço máximo
Para esse leilão a ANP reduziu o preço máximo em 20 centavos com relação ao leilão 19 e estabeleceu o limite de R$ 2,12 por litro de biodiesel. Esse valor desagradou as usinas e fez com que algumas chegassem a dizer que não seria possível participar do leilão. Mesmo com toda a reclamação, a disputa pelos itens deve levar facilmente o preço para baixo dos R$ 2,05, independente do valor estabelecido como máximo.

O pregoeiro
Depois de 19 leilões a ANP trocou o pregoeiro. Antonio Carlos do Couto Franco foi o pregoeiro oficial em todos os leilões de biodiesel realizados pela ANP até hoje. No 20º leilão ele passa o martelo para Rafael de Carvalho Lins.

A influência das mudanças
Com exceção da mudança do pregoeiro, todas as outras tem influência sobre o preço do biodiesel. O aumento da oferta e a diminuição da demanda é a principal. A Oleoplan tem histórico de vender todo o biodiesel que pode. Se mantiver essa estratégia, venderá mais 28 milhões de litros aos 47 milhões que ela já vendia. A Petrobras que também vendia tudo o que podia, vendeu apenas 45% no último certame. Se dessa vez ela quiser recuperar terreno, a disputa vai ficar bastante acirrada. As três usinas da PBio podem vender 86,8 milhões de litros.

Outros dois fatores que farão a pressão sobre o preço do biodiesel ser ainda maior é o novo sistema de fechamento aleatório e a quantidade de itens abertos ao mesmo tempo. Como os itens podem fechar a qualquer momento, as usinas vão tentar estar sempre com o menor preço no item disputado. A forte queda de preços que acontecia somente ao final dos 30 minutos de negociação, passará a ocorrer desde o momento da abertura. E como serão abertos seis itens de cada vez, usinas que contam com uma equipe pequena tendem a dar lances com um deságio maior na esperança de ficar mais tempo na liderança de um item. Por outro lado podemos ter mais itens fechando muito antes do esperado, ficando assim com um preço muito melhor do que a média do leilão. O que aconteceu com a Comanche no último leilão deve se repetir mais vezes na próxima semana com outros felizardos.

O 20º leilão será sem dúvida mais disputado que o anterior. As usinas precisam preparar muito bem toda sua cadeia de custos antes do leilão e saber exatamente até onde podem ir. É muito melhor para uma usina não vender, do que vender e não entregar, pois além de perder o que vendeu no leilão não vai poder participar do próximo leilão.  Como o aumento da mistura de biodiesel no diesel deve demorar mais alguns leilões para vir, esse cenário de forte disputa de preços irá se manter. É preciso ter isso em mente na hora de traçar as estratégias e escolher seu preço.

Antes de a oferta ficar muito acima da demanda, não era muito difícil analisar quem iria vender ou não em um leilão. Hoje essa situação mudou e não dá para saber quem vai conseguir vender. Algumas empresas tem capacidade muito grande e, dependendo da estratégia adotada, podem excluir outras grandes empresas do certame. Se oito empresas - ADM, BSBios, Caramuru, Granol, JBS, Oleoplan, Olfar e Petrobras - venderem os 80% que podem, não haverá biodiesel para nenhuma outra empresa. Somadas, a capacidade dessas empresas atinge 603 milhões de litros.

Duração
Se as perspectivas não são de preços elevados para o biodiesel, a expectativa de duração do leilão é boa. O leilão não deve durar os três dias previstos  em função do menor número de itens, da nova sistemática de fechamento dos itens e da abertura de até seis itens ao mesmo tempo. Se não houver nenhum imprevisto no começo da tarde do segundo dia já saberemos quem são os ganhadores.

Ferramenta exclusiva
A BiodieselBR desenvolveu um aplicativo que permite acompanhar em detalhes o leilão do próximo dia 17. Para comprar o acesso a ferramenta e saber mais detalhes clique aqui. (.PDF)

Selo social
Esta semana deve sair o resultado do MDA referente ao selo Combustível Social. Como algumas usinas devem perder o selo a capacidade de oferta no primeiro lote deve diminuir.

Miguel Angelo Vedana é diretor-executivo da BiodieselBR e faz parte do conselho editorial da revista BiodieselBR.
Tags: L20