convidado

Leilão comprará mais biodiesel, mas volume será proporcionalmente menor


Miguel Angelo Vedana - 29 abr 2009 - 11:44 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:08

De acordo com as informações do superintendente de abastecimento da ANP, Edson Silva, o próximo leilão de biodiesel ocorrerá em maio e o volume comprado será de 380 milhões de litros. Com isto pretende-se suprir a obrigatoriedade de uso do B4 a partir do terceiro trimestre deste ano. Contudo, o volume antecipado por Silva não representa um grande incremento em relação ao que já foi comprado nos leilões anteriores.

Os 380 milhões de litros representam 1% a mais de biodiesel no diesel, mas na prática serão apenas 50 milhões de litros acima do que foi comprado para o primeiro trimestre. Proporcionalmente, o volume a ser adquirido é menor.

Isto quer dizer que se nesse próximo leilão fosse comprado biodiesel apenas para suprir o B3 e mantivéssemos a proporção do volume anunciado para o B4, seriam adquiridos apenas 285 milhões de litros. Ou seja, se no décimo segundo leilão foram adquiridos 110 milhões de litros para cada 1% de mistura do biodiesel no diesel (330 milhões de litros), agora no 14º leilão, este 1% representa apenas 95 milhões (ou 285 para o B3 e 380 para o B4).

Esta é a segunda queda no volume de biodiesel a ser arrematado. No 13º leilão já aconteceu uma redução de 15 milhões de litros e muitas usinas demonstraram enorme insatisfação com a nova situação. No período, os ânimos só foram acalmados graças à promessa de um leilão de estoque, que acabou não se confirmando. Como resultado as usinas viveram nos últimos meses o período de maior ociosidade da história.

Essa relativa redução no volume de biodiesel a ser arrematado acontece em razão da queda no consumo de diesel no Brasil. Os níveis de utilização nos primeiros dois meses do ano estão próximos aos de 2007. Enquanto o consumo de diesel não crescer, ou novos percentuais de mistura não começarem a vigorar, as usinas continuarão ocupando pouco sua capacidade de produção.

Demanda de biodiesel em 2009

Miguel Angelo Vedana
Diretor-executivo da BiodieselBR

Tags: L14