convidado

ANP não divulga informações importantes sobre a produção de biodiesel


BiodieselBR.com - 06 jul 2008 - 18:54 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:06

Uma dúvida frequente do setor de biodiesel hoje é sobre a participação das matérias-primas na produção de biodiesel. Os números utilizados pelo setor variam muito, e há concordância apenas que a soja é a mais utilizada, seguida pelo sebo. Mas a participação de cada uma é uma incógnita. Assim como não é conhecido se existem outras oleaginosas com participação significativa.

Apesar de desconhecidos, os números sobre a utilização das matérias-primas existem. As usinas são obrigadas a informar mensalmente a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) qual a matéria-prima que estão utilizando. Ou seja, a ANP tem a informação exata sobre as oleaginosas e gorduras que originam o biodiesel brasileiro. Mas não divulga.

Essa informação é essencial para que se tenha um perfil do biodiesel nacional. Entre as diversas utilidades, poderíamos saber quais estados usam um percentual menor de soja. Conheceríamos o valor exato do sebo que está sendo utilizado para produzir biodiesel, e ajudar não só o setor de biodiesel, mas todos os outros que de alguma forma utilizam o sebo na fabricação de seus produtos. Também teríamos mais segurança com relação a qualidade do biodiesel, que depende muito da matéria-prima utilizada.

Esses dados, que a Agência não quer informar, são cruciais para que a sociedade possa dimensionar um dos seus maiores anseios: a inclusão social. O Programa Nacional de Produção de Uso de Biodiesel (PNPB) é atualmente subsidiado pela população, que paga mais pelo diesel B3 que hoje está na bomba. E a sociedade quer saber se o dinheiro que ela está pagando a mais pelo diesel está ajudando a agricultura familiar ou está indo para os grandes produtores de grãos do Brasil.

Apesar do biodiesel no Brasil estar começando, ele cresce rapidamente e a fiscalização da sociedade é uma etapa fundamental. Nesse momento não existem informações sobre a produção de biodiesel que podem ser consideradas dispensáveis. Todo e qualquer dado real sobre quanto e como está sendo produzido biodiesel no Brasil é relevante. É claro que existem dados estratégicos que não devem ser divulgados, mas compreendidos e assimilados pelos órgãos do governo, entretanto a informação sobre as matérias-primas utilizadas para produzir biodiesel no Brasil não é uma delas.

Cabe agora a ANP compreender a importância desses dados para a sociedade e divulgá-los. A agência possui um canal de comunicação onde você, como sócio do PNPB, pode fiscalizar o desempenho do órgão federal:
Telefone: 0800 970 0267
ou enviando sua mensagem pela página:
http://www.anp.gov.br/forms/crc_form_mail.asp

Miguel Angelo S. Vedana, diretor-executivo da BiodieselBR