PUBLICIDADE
cremer cremer
Negócio

Renováveis já empregam 6,5 milhões de pessoas


Instituto Carbono Brasil - 12 mai 2014 - 17:30
EmpregosRenovaveis 120514
Além de já se mostrarem como uma opção competitiva na geração de energia, as fontes alternativas estão cada vez mais significantes para a economia mundial, representando um importante setor de criação de empregos. É o que revelam novos números divulgados neste domingo (11) pela Agência Internacional de Energias Renováveis (Irena) no relatório “Renewable Energy and Jobs – Annual Review 2014” (Energia Renovável e Empregos – Análise Anual 2014 numa tradução literal).

Segundo a Irena, 6,5 milhões de pessoas em todo o mundo trabalharam em 2013 em funções relacionadas à geração de energia. Uma significante alta com relação ao número de 2012 que foi de 5,7 milhões de empregos. Vale ressaltar que a agência não considerou os empregos ligados à construção e operação de grandes hidroelétricas.

No geral, a China é o país que melhor está aproveitando a transição para uma energia de baixo carbono, respondendo por 2,6 milhões dos empregos mundiais no setor. O Brasil aparece em segundo lugar, com 894 mil empregos, seguido pelos Estados Unidos, 625 mil e pela Índia, 391 mil. A União Europeia como um todo detém 1,2 milhão de empregos, sendo que a Alemanha é o destaque com 371 mil.

O setor que mais emprega é o fotovoltaico, com 2,2 milhões de postos de trabalho. Depois vêm os biocombustíveis líquidos, 1,4 milhão, o eólico, 834 mil, e o de biomassa, 782 mil.

Foi justamente a expansão das instalações fotovoltaicas na Ásia, em especial no Japão e China, a principal responsável pelo aumento no número de postos de trabalho globalmente no ano passado.

“A crescente demanda por fotovoltaica na China e no Japão estimulou a criação de empregos no setor de instalação e manufatura. Estimamos que os chineses multiplicaram por cinco a sua capacidade fotovoltaica instalada entre 2011 e 2013”, afirmou Rabia Ferroukhi, diretora da divisão de Conhecimento, Política e Finanças da Irena.

Brasil
A indústria do etanol foi responsável por empregar 539 mil brasileiros em 2013, porém devido à mecanização do cultivo e colheita da cana-de-açúcar, o número de postos de trabalho na área vem caindo. A Irena cita informações do Ministério do Trabalho para apontar que houve um declínio de 7% nos empregos relacionados com a cana entre 2011 e 2012.

O biodiesel emprega menos, cerca de 81 mil pessoas, mas apresenta uma tendência de alta. Segundo dados da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil, o país possuía apenas 21 mil postos de trabalho no setor em 2008.

Apesar de estar atravessando um bom momento, com os investimentos em parques podendo alcançar os R$ 23 bilhões em 2014 de acordo com a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), a energia eólica ainda aparece com um número bem abaixo dos biocombustíveis quando o assunto é geração de empregos. Em 2013, somente 32 mil brasileiros estavam empregados no setor.

O estudo Renewable Energy and Jobs – Annual Review 2014 está disponível gratuitamente no portal da IRENA na Internet (inglês). Ele pode ser baixado clicando aqui.

Fabiano Ávila, do Instituto CarbonoBrasil
Com adaptação BiodieselBR.com