PUBLICIDADE
cremer
Negócio

Preços do petróleo caem ao menor patamar em um ano com percepção de EUA a caminho da recessão


Valor Econômico - 08 dez 2022 - 09:03

Os contratos futuros de petróleo encerraram a sessão em queda firme, para os menores níveis em um ano, depois que dados mostraram que os estoques de gasolina dos Estados Unidos subiram bem mais do que o esperado e a despeito da queda do dólar, que normalmente dá apoio aos preços.

O fato acontece ao mesmo tempo que aumenta a percepção de que o país está a caminho de uma recessão - o que colocaria em risco a demanda pela commodity - enquanto agentes do mercado se preparam para a reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed), que acontece semana que vem.

No fim das negociações, os preços dos contratos para fevereiro do Brent, a referência global, terminaram em queda de 2,8%, a US$ 77,11 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os preços dos contratos para janeiro do WTI, a referência americana, caíram 3,00%, a US$ 72,01 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex), no menor preço desde o início do ano.

Mais cedo, foi divulgado que os estoques de gasolina subiram bem mais do que o esperado, aumentando 5,319 milhões de barris, enquanto a estimativa dos economistas era de alta de 1,5 milhão de barris, totalizando 219 milhões de barris, conforme apontou o Departamento de Energia do país na tarde de hoje. Já os estoques de petróleo caíram 5,186 milhões de barris na semana passada, terminada em 2 de dezembro.

“Em última análise, os movimentos nos mercados de petróleo dependem de várias partes móveis, e é por isso que vemos tanta volatilidade, mas a tendência tem sido negativa por várias semanas”, avalia o analista de mercado da Oanda, Craig Erlam. “A questão é quanto mais fraco ele ficará antes que a Opep entre em ação mais uma vez”, completa.

Ao fim da tarde, o índice DXY, que mede o peso do dólar ante seis moedas de mercados desenvolvidos, operava em queda de 0,38%, aos 105,172 pontos.

Igor Sodré – Valor Econômico