PUBLICIDADE
cremer cremer
Negócio

Opep vê menor crescimento da demanda global por petróleo em 2023


Reuters - 14 jun 2022 - 09:53

O crescimento da demanda mundial por petróleo irá desacelerar em 2023, disseram delegados da Opep e fontes do setor, já que o aumento dos preços do petróleo e dos combustíveis ajuda a elevar a inflação e atrapalha a economia global.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) deve publicar sua primeira previsão para a demanda de 2023 em julho. A estimativa do grupo, juntamente com a da Agência Internacional de Energia, será observada de perto pelas sinalizações sobre como a política de oferta da Opep pode se desenvolver.

Um delegado da Opep e outra fonte familiarizada com o assunto disseram esperar um crescimento da demanda mundial de 2 milhões de barris por dia (bpd) ou menos em 2023, um aumento de apenas 2%, em comparação com o crescimento de 3,36 milhões de bpd esperado em 2022.

“Mesmo que seja apenas 1 milhão de bpd, ainda é um crescimento e não um pico”, disse o delegado sobre as perspectivas para o próximo ano.

A AIE, que aconselha governos ocidentais sobre política energética, divulgará sua primeira previsão de demanda para 2023 em um relatório mensal na quarta-feira, disse um porta-voz da agência.

A Opep está atenta a sinais de que os altos preços dos combustíveis poderiam levar à destruição da demanda por petróleo.

Mais dois delegados da Opep disseram que a destruição da demanda provavelmente afetará o uso de petróleo nos próximos meses, embora um deles tenha dito que ainda há poucos sinais disso nos Estados Unidos, citando dados recentes da demanda por gasolina.

Uma fonte sênior do setor que trabalha para uma trading, não afiliada à AIE ou à Opep, também disse esperar um crescimento menor da demanda em 2023, dizendo que suas estimativas iniciais apontavam para um crescimento de 2 milhões de bpd ou menos, abaixo dos 2,6 milhões de bpd previstos para 2022.

“O petróleo bruto a 120 dólares o barril está causando a destruição da demanda”, disse ele. “Já está acontecendo.”

Alex Lawler e Dmitry Zhdannikov – Reuters

Tags: Opep Petróleo