PUBLICIDADE
cremer cremer
Negócio

Montadoras investem em ônibus e caminhões movidos a etanol


BiodieselBR.com - 26 nov 2012 - 09:20 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
onibus etanol_261112
Os dois principais combustíveis renováveis do Brasil – o biodiesel e o etanol – podem estar em rota de colisão. O fato é que a indústria automobilística do Brasil não deixou de investir no etanol, mesmo com os preços pouco atrativos dos últimos anos. Ao poucos veículos pesados, como caminhões e ônibus, que sempre foram movidos exclusivamente a diesel  gradativamente vêm sendo adaptados ao uso do álcool.

Os principais objetivos das montadoras é reduzir a emissão de poluentes e, ao mesmo tempo, garantir a alternativa quando o preço voltar a ser vantajoso. No caso de caminhões e ônibus, há várias iniciativas, mas ainda não para a produção em série de motores a etanol. A maioria ainda está testando os veículos com o combustível renovável, principalmente na área de transporte urbano que tem metas mais ambiciosas de redução de emissões.

A Scania já tem disponível no mercado os dois veículos a etanol. O motor é de ciclo diesel, mas usa como combustível uma composição 95% etanol e 5% de um agente promotor de ignição. De acordo com o gerente de ônibus para América Latina da companhia, Marcelo Montanha, o ônibus tem utilizado mais a tecnologia. A marca já tem 60 veículos circulando na cidade de São Paulo, na chamada Ecofrota.

De acordo com Montanha, há uma redução de 90% na emissão de gás carbônico em relação ao uso do diesel e a resposta do mercado e dos passageiros é extremamente positiva. No entanto, ele não acredita que haverá uma solução única de combustíveis para ônibus e caminhões. “Hoje 99% dos caminhões e ônibus vendidos na Scania são a diesel, mas no futuro essa matriz tende a sofrer mudanças, com tecnologias mais limpas. O etanol é uma das alternativas”, diz Montanha.

Adaptações
A MAN Latin America está testando outro tipo de motor que roda com diesel e etanol numa proporção de até 55%. O veículo possui dois tanques e começa a funcionar apenas com o diesel, substituindo pelo etanol de acordo com a rotação do motor e a carga. De acordo com o diretor de Engenharia Estratégia do Produto e Gerenciamento de Portfólio, Gastão Rachou, veículos com esse motor devem começar a ser comercializados daqui a dois anos.

O diretor afirma que o projeto foi desenvolvido pensando especialmente nos usineiros do açúcar, que têm etanol a preço de custo, mas que este mercado pode se expandir dependendo da relação entre os preços do diesel e do álcool.

Biodiesel e diesel da cana
Rachou lembra, porém, que há outros combustíveis sustentáveis como o diesel de cana e o biodiesel. A vantagem deles em relação ao etanol é que ambos podem ser usados em motores a diesel convencionais, mas o preço ainda é mais alto. A MAN tem uma frota com 10 ônibus que usam 10% de diesel de cana e 90% de B5 em circulação na capital paulista.

A Iveco também tem um protótipo de caminhão que usa etanol e diesel. Mas segundo o engenheiro sênior de Produto da Área de Inovação da empresa, Fabio Nicora, o foco está em outras alternativas, como gás natural, biodiesel e tração elétrica. “O diesel usado em motores mais eficientes e menos poluentes será ainda o combustível fundamental para movimentar a frota brasileira”, afirma.

Patrícia Herman – BiodieselBR.com
Com informações: Agência de Notícias Brasil-Árabe