PUBLICIDADE
Bio

Empresa planeja criar variedades híbridas de pinhão-manso para o Brasil


BiodieselBR.com - 21 set 2011 - 06:24 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:17

Na semana passada, a brasileira Jetbio fechou um acordo com norte-americana SG Biofuels que vai possibilitar o desenvolvimento de variedades híbridas de pinhão-manso no Brasil. A ideia é pesquisar o potencial dessa oleaginosa como matéria-prima para a produção de bioquerosene para o setor de aviação no Brasil.

Segundo o sócio da Jetbio, Roberto Murat, o acordo com a SG Biofuels vem sendo costurado desde o final do ano passado e vai permitir o plantio de sementes de uma variedade desenvolvida pela SG Biofuels. A área piloto definida pela empresa possui apenas dois hectares no Mato Grosso do Sul e será usada para que a cultivar possa ser adaptada às condições brasileiras.

Durante os primeiros dois anos, o plantio será puramente científico para selecionar as variedades mais bem adaptadas, só para, a partir do final de 2013, começar os testes em escala comercial. A ideia é chegar a 30 mil hectares de cultura entre 6 a 8 anos.

Os recursos para a fase inicial do programa incluem contribuições da Airbus e do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Consórcio
Segundo Murat, diferente de experiências anteriores com o pinhão-manso o projeto vai consorciar a cultura com a criação de gado como uma forma de acelerar a expansão do plantio. “A região onde estamos plantando tem bastante pecuária, mas como os criadores não investem na formação do pasto, a produtividade é baixa. A introdução do pinhão-manso permitiria que os pecuaristas reformassem seus pastos e aumentassem a capacidade de suporte por hectare e como o pinhão-manso é tóxico, o gado não mexe nele”, informa.

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com