Bio

Conab diz que logística é o novo desafio do biodiesel


BiodieselBR.com - 04 mai 2011 - 08:51 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:16

Quando o Programa Nacional de Produção e Uso de biodiesel (PNPB) foi criado, o maior desafio estava na criação de dezenas de indústrias com capacidade para produzir bilhões de litros de biodiesel. A antecipação do B5 em 2010 foi reflexo da superação desta etapa do PNPB. Agora, segundo aponta um relatório divulgado pela Conab, o novo desafio são os nós presentes na logística do biodiesel – seja para a matéria-prima quanto para o produto final.

Atualmente o biodiesel precisa rodar, em média, 1.300 quilômetros antes de chegar a seu destino de acordo com dados do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes. O estudo da Conab ressalta as discrepâncias descobertas pela reportagem “Os passeios do biodiesel ” publicada na edição 19 da revista BiodieselBR. Por exemplo, durante o período observado pela Conab, o Paraná recebeu 25 milhões de litros de biodiesel vindos do Mato Grosso, mas nenhuma gota do vizinho Rio Grande do Sul que exportou seu produto para outros estados mais distantes.

Embora não chegue a abordar os aspectos deste problema ligados ao modelo de leilões e releilões de biodiesel, o documento indica que, no longo prazo, a solução para os problemas de logística, especialmente da matéria-prima, passa pelo “aumento da produção regional de oleaginosas. E a melhor forma de provimento das demandas regionais de óleos vegetais é a utilização de culturas mais eficientes para cada região”.

A Conab vê avanços inequívocos nesse front com um crescimento de 65,7% da safra 2009/10 para a 20010/11 na quantidade produzida de canola e 36,6% para o girassol e os recentes avanços na cultura da palma de óleo na Região Norte.

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com