Bio

Bionasa prepara inauguração de usina e pedra fundamental de esmagadora


BiodieselBR.com - 05 mai 2011 - 08:46 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:16

Está prevista para o próximo dia 12, às 11 horas, a inauguração da fábrica da Bionasa, instalada no município goiano de Porangatu. A Bionasa recebeu no dia 12 de abril , autorização da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para comercializar seu biodiesel. A usina tem capacidade autorizada de 235 milhões de litros por ano.

Segundo informações da assessoria de imprensa da empresa também será lançando a pedra fundamental de uma esmagadora de soja. O grupo enxerga na verticalização a saída para garantir a auto-suficiência de óleo vegetal para a usina, além da produção de farelo.

A BiodieselBR solicitou mais informações sobre a inauguração e a unidade de esmagamento para a assessoria de imprensa da Bionasa mas foi informado que por enquanto não seriam fornecidos mais detalhes.

BiodieselBR.com


Goiás terá nova usina de biodiesel neste ano 

Folha de S. Paulo (06/05/2011)

Uma nova usina de biodiesel vai entrar em operação no país neste semestre, em Goiás, no município de Porangatu.

O projeto, da Jaraguá Participações, abrange investimentos de quase R$ 430 milhões no Estado.

Do total, com R$ 148 milhões, será inaugurada no próximo dia 12 a usina Bionasa, que recebeu em abril a permissão da ANP (Agência Nacional do Petróleo) para comercializar seu biodiesel.

O empreendimento representa uma capacidade de 200 mil toneladas do produto ao ano e vai se posicionar entre as maiores usinas ativas do Brasil, de acordo com Francisco Barreto, presidente da Bionasa.

A unidade poderá comercializar até 47 milhões de litros em cada leilão de biodiesel, segundo a empresa.

O projeto é controlado pela Jaraguá e tem como acionistas minoritárias a Canabrava e a Billiter Participações.

"Esse mercado ganha potencial com a queda da produção de petróleo no mundo e o aumento da mistura do biodiesel", afirma.

Outros R$ 280 milhões serão injetados pela holding no projeto da Onasa, uma esmagadora de grãos de soja, para produção de óleo, que será fornecido à Bionasa, e para a agroindústria.

"Queremos avançar na verticalização da empresa e gerar a matéria prima, que é o óleo vegetal", diz.

MARIA CRISTINA FRIA