BASF
030

Notas: Oleoplan retoma projeto, investimentos mantidos, Vale inicia esmagamento


Edição de Ago / Set 2012 - 24 ago 2012 - 17:46 - Última atualização em: 31 out 2012 - 12:01

PARANÁ - Oleoplan retoma projeto

A gaúcha Oleoplan está para reiniciar o projeto de uma usina de biodiesel em Ponta Grossa (PR). O projeto foi anunciado originalmente em abril de 2010, mas logo paralisado, primeiro por dificuldades com a documentação e depois por mudanças nas regras dos leilões de biodiesel, que tornaram pouco vantajoso para a companhia ter duas unidades competindo dentro de uma mesma região brasileira. A retomada das obras está marcada para agosto e a previsão inicial é que a nova unidade entre em funcionamento até setembro de 2013. Quando for finalizada, a unidade poderá fabricar 360 milhões de litros por ano. Isso elevará a capacidade do Grupo Oleoplan para perto de 1 bilhão de litros.

PETROBRAS - Investimentos mantidos

Anunciado no final de junho pela presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, o Plano de Negócio 2012-2016 inicialmente deu um susto no mercado. Os recursos alocados sob a legenda biodiesel, que eram de US$ 600 milhões no PN 2011-2015, haviam sido reduzidos para US$ 280 milhões no novo plano. A impressão inicial era de que a Petrobras estava discretamente reduzindo as apostas no mercado de biocombustíveis. Mas a assessoria de imprensa da Petrobras esclareceu que a edição atual do plano passou a alocar na legenda “investimentos agrícolas” valores que antes apareciam sob o guarda-chuva do biodiesel. Assim, para chegar ao valor correto de tudo o que será investido neste biocombustível durante os próximos quatro anos, é preciso contar os valores alocados em biodiesel (U$ 0,28 bi), suprimento agrícola (U$ 0,41 bi) e corporativo (U$ 0,01 bi), soma que dá cerca de US$ 700 milhões. Os investimentos já começaram. Em 10 de julho o diretor de biodiesel da PBio, Alberto Fontes, esteve em Natal, onde assinou um protocolo de intenções que prevê a ampliação da usina experimental de Guamaré (RN). As obras deverão estar concluídas até junho de 2013.

PALMA DE ÓLEO - Vale inicia esmagamento

Em 26 de junho foi inaugurada a primeira usina de extração de óleo de palma pertencente à Biopalma. A empresa é controlada pela Vale, em sociedade com o Grupo MSP. De acordo com o planejamento, até 2015 o óleo processado será utilizado na fabricação de biodiesel e deverá abastecer com B20 a frota de locomotivas e máquinas pertencentes à mineradora. A estimativa é que a troca reduza as emissões de CO2 nas operações da Vale em cerca de 20 milhões de toneladas pelos próximos 25 anos. A implantação dos dendezais deverá sequestrar outros 2 milhões de toneladas de gás carbônico. Localizada no município de Moju (PA), a 150 km de Belém, a usina tem capacidade para produzir 25 toneladas de óleo de palma por hora e conta com um nível inédito de automação para o mercado brasileiro. Foram investidos R$ 120 milhões para a primeira das duas unidades de esmagamento previstas no projeto. Ao todo serão investidos US$ 500 milhões.