015

Brasil Ecodiesel: Logística incontornável


BiodieselBR.com - 22 mar 2010 - 12:40 - Última atualização em: 19 dez 2011 - 17:15
Alice Duarte, de Curitiba

O anúncio do fechamento de duas usinas da Brasil Ecodiesel, em dezembro, não chegou a pegar o mercado de surpresa. A unidade de Crateús (CE) estava inoperante desde abril de 2009 e a de Floriano (PI) desde maio. Problemas incontornáveis de logística afetaram drasticamente a competitividade dessas usinas. Distantes dos centros produtores de soja, e sem produção regional de oleaginosas alternativas em volume e preço viáveis para a produção de biodiesel, não restou outra alternativa para a Ecodiesel a não ser fechar as unidades.

O momento em que a empresa desistiu desses investimentos foi estratégico por três principais razões. Uma é que a principal concorrente da empresa no Nordeste, a Petrobras Biocombustível, recentemente anunciou ampliações que praticamente triplicam sua capacidade instalada na região. Com um custo operacional alto, as unidades do Ceará e do Piauí não conseguiram fazer frente a tamanha escala de produção da estatal.

A segunda razão é que o governo já sinalizou mudanças na sistemática dos leilões. Entre as mudanças inicialmente cogitadas está a substituição do modelo FOB (frete por conta da distribuidora) para CIF (frete por conta do produtor). Este seria um modelo transitório entre o atual sistema de leilões públicos e o mercado de livre concorrência, no qual seriam mais competitivas aquelas usinas construídas próximas aos pólos de produção de oleaginosas e dos centros de distribuição do combustível, o que não é o caso das unidades recém-fechadas.

Por fim, cabe lembrar que a Brasil Ecodiesel está correndo o risco de perder o selo Combustível Social em três ou quatro de suas usinas. A empresa chegou a ser notificada em 2008 sobre o não-cumprimento dos requisitos necessários para a manutenção do selo – mecanismo que garante acesso a 80% do mercado de biodiesel no trimestre. Até agora a questão está no departamento jurídico do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A Ecodiesel recorreu, atrasando a decisão –, mas, pelas últimas informações do MDA, o resultado está para sair.

A Brasil Ecodiesel informou que o fechamento das unidades inoperantes não altera o planejamento de produção e vendas de biodiesel no curto e médio prazo. A empresa planeja aproveitar as instalações industriais dessas unidades, ampliando ou realocando a capacidade produtiva, “levando-se em conta a logística de matéria-prima e do mercado consumidor”, segundo informou em comunicado.
Tags: Ecodiesel