007

E a cana-de-açúcar virou biodiesel


BiodieselBR - 08 dez 2008 - 14:10 - Última atualização em: 23 jan 2012 - 10:56
Empresa americana quer vender no Brasil tecnologia que usa a cana para produzir diesel

Por Rosiane Correia de Freitas, de Curitiba


O segredo do diesel produzido pela Amyris - Crystalsev a partir de cana-de-açúcar foi descoberto enquanto cientistas da Universidade de Berkeley, na Califórnia, estavam pesquisando uma forma de baratear a produção da artemisinina, um medicamento eficaz no tratamento da malária. O projeto de pesquisa foi financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates e tinha objetivo de reduzir os custos de tratamento dessa doença. No entanto, os pesquisadores descobriram também uma forma de produzir combustíveis renováveis. “Eles conseguiram fazer isso mudando basicamente o metabolismo de uma bactéria. Essa bactéria come açúcar e produz o medicamento”, conta o diretor-geral da Amyris- Crystalsev, Roel Collier.

A mesma tecnologia é aplicada a outros microorganismos que, uma vez modificados, se alimentam de açúcares e produzem diesel, gasolina e até mesmo combustível para aviões. A partir daí os pesquisadores decidiram investir numa empresa que desenvolvesse a tecnologia para produzir combustível em escala comercial. “Montaram uma empresa para pesquisar o meio biológico para o microrganismo produzir essas três moléculas comendo açúcar”, conta. No entanto, para viabilizar a transformação dos testes em laboratório em produção comercial, os cientistas americanos precisavam encontrar uma fonte barata e acessível de açúcar. Foi aí que o Brasil entrou na história.

“Há um ano a empresa começou a olhar o Brasil porque a fonte mais barata e sustentável de açúcar obviamente é a cana-deaçúcar brasileira”, diz. A Amyris foi atrás das grandes companhias do setor sucroalcooleiro do país. Acabou fechando um acordo com a Crystalsev, uma das maiores negociantes de etanol no Brasil. Surgia assim a joint venture Amyris- Crystalsev, empresa responsável pela comercialização da tecnologia no país.

Pelo acordo a Santelisa Vale, acionista majoritária da Crystalsev, deverá fornecer à joint venture dois milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano. “Isso significaria hoje mais ou menos 160 milhões de litros de etanol. Com o ajuste de volume para o diesel a produção será de 110, 120 milhões de litros”, calcula. Duas usinas da Santelisa Vale já firmaram acordo com a Amyris-Crystalsev para adquirir a tecnologia e iniciar a produção comercial de biodiesel em uma usina já em 2010. “A expectativa é conseguir processar até um milhão de toneladas de cana em 2010, ou seja, produzir de 50 a 60 milhões de litros de diesel”, adianta Collier. “Ainda estamos estudando a quantidade ideal para início da produção”.
Tags: Amyris