PUBLICIDADE
cremer
Soja

Soja: Rabobank estima produção menor do que a apontada por consultorias


Canal Rural - 30 set 2022 - 08:41

A safra 2022/23 de soja começou a ser semeada no Brasil a partir de setembro e, com nova expansão, a perspectiva é de um recorde de 43,2 milhões de hectares de área plantada. Assumindo a linha de tendência de produtividade, a estimativa é que o Brasil produza 148 milhões de toneladas nesta temporada, um aumento de 22 milhões de toneladas se comparada com a safra 2021/22, de acordo com o Agroinfo Rabobank.

A estimativa do relatório do banco é levemente pessimista em comparação às projeções iniciais de três das principais consultorias que atuam no agronegócio brasileiro. A Safras & Mercado, por exemplo, aponta 151,4 milhões de toneladas em 42,8 mi/ha. Já a AgResource Brasil indicou área total de 42,61 milhões de hectares e produção total de 151,24 mi/t. A Datagro, por sua vez, estima 151,8 mi de t em uma área de 43,03 mi de ha.

Ritmo de plantio da soja

Enquanto no Brasil é esperado um aumento da área plantada de 4%, na Argentina aguarda-se um aumento de 3% em relação à safra 2021/22. O clima, que já indica excelentes volumes de chuvas para as principais regiões produtoras, deverá acelerar o ritmo do plantio da soja nos próximos meses. Além disso, segundo o Rabobank, o volume recorde de compras de máquinas agrícolas impulsionado pelas boas margens obtidas durante as últimas duas safras também contribuirá para as atividades realizadas a campo.

Durante o mês de setembro, as cotações da soja em Chicago foram reduzidas em 5%, mesmo considerando uma redução de 4,1 milhões de toneladas na estimativa da colheita de soja norte-americana para a safra 2022/23. Já em reais, os preços no estado de Mato Grosso ficaram praticamente inalterados em relação ao mês anterior.

Panorama da safra 21/22

Para a safra 2021/22 o Rabobank projeta redução de 10 milhões de toneladas nas exportações de soja brasileiras em relação à temporada passada. Em contrapartida, o esmagamento deverá alcançar um volume recorde de 48,8 milhões de esmagamento.

As elevadas taxas de exportação na Argentina e o baixo calado do Rio Paraná limitaram a competitividade do maior exportador de farelo de soja e óleo de soja. Em meio a esse cenário, as exportações do farelo apresentaram um aumento de 20% entre janeiro a agosto deste ano.

Já as exportações de óleo de soja aumentaram 65% neste mesmo período. Neste contexto de safra recorde brasileira, o banco projeta uma recomposição dos estoques globais de soja ao final da safra 2022/23, impulsionado pelo aumento da área plantada no Brasil e na Argentina.

Os estoques globais de soja ao final da safra 2022/23 indicam uma recuperação de 10%. Se confirmada uma safra recorde, os preços para a safra 2022/23 devem atingir patamares menores aos praticados em 2022.