Em Foco

Brasil e EUA vão desenvolver biocombustíveis de aviação


Agência Estado e MME - 21 mar 2011 - 06:12 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:16

A visita do presidente Barack Obama ao Brasil serviu para os governos brasileiro e norte-americano estabelecerem, em Brasília, uma parceria para o desenvolvimento de biocombustíveis de aviação. "Como meio importante para reduzir as emissões de gases do efeito estufa do setor", diz o documento.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, assinaram na manhã deste sábado (19),  parceria para o desenvolvimento de biocombustível para aviação.

Segundo o acordo, a parceria deve "coordenar esforços para o estabelecimento de padrões e especificações comuns para biocombustíveis de aviação". Também foi assinado um protocolo para desenvolver e cooperar em estudos espaciais.

Os dois países prometem "fortalecer parcerias do setor privado mediante criação de ambiente favorável para pesquisa e círculos acadêmicos, bem como empreendimentos para desenvolver cooperação e iniciativas voltadas para o desenvolvimento de biocombustíveis de aviação". O acordo menciona ainda intercâmbio entre especialistas brasileiros e norte-americanos.

Segundo o ministro Edison Lobão, “faz muito tempo que nós já usamos cotidianamente biocombustíveis nos nossos carros, tratores, ônibus e caminhões, seja com etanol, seja com biodiesel e agora vamos caminhar, também, para um mundo mais limpo com o desenvolvimento do bioquerosene para aviação”, disse.

Os seguintes órgãos do governo brasileiro foram escalados para tratar da parceria: Casa Civil, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Agência Nacional do Petróleo (ANP), Ministério de Minas e Energia, Ministério da Agricultura e Ministério da Defesa.

A parceria complementa e amplia o Memorando de Entendimento para Biocombustíveis firmado entre o Brasil e os Estados Unidos em março de 2007.