analises

[Análise] Olhares internacionais sobre o futuro do biodiesel - 08.out.07


BiodieselBR.com - 08 out 2007 - 09:18 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:23

O crescente mercado de biodiesel traz junto novas indústrias de matérias- primas e subprodutos. É o que vai acontecer com a empresa alemã Degussa, que agora se chama EVONIK.  A fabricante mundial de alcóxidos, catalisadores usados para a fabricação de biodiesel, anunciou que vai construir uma fábrica no Brasil. A empresa espera concluir a construção entre 2009 e 2010. Até lá a empresa continuará a atender o mercado brasileiro importando o produto da Alemanha.

A construção de uma fábrica como essa que a Evonik fará no Brasil mostra como o mundo vê o biodiesel no Brasil. Nenhuma empresa investiria dezenas de milhões de euros em uma fábrica de produtos de suporte ao biodiesel se não tivesse estudos mostrando a viabilidade do negócio e o crescimento do setor.

Até a chegada de 2008 o biodiesel passará por um momento ruim, que será superado com a obrigatoriedade. As empresas nacionais que estão duvidando do biodiesel no Brasil talvez precisem ver o setor com os olhos dos estrangeiros.

A análise desta semana continua nas páginas:


Os problemas da mamona e do selo social [08.out.07]

Um salto na produção de agosto [08.out.07]

Olhares internacionais sobre o futuro do biodiesel [08.out.07]