Matérias-primas alternativas

USDA desenvolve sistema de produção alternando soja e camelina


BiodieselBR.com - 30 jun 2015 - 14:29

Pesquisadores do Laboratório de Pesquisa em Conservação dos Solos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estão desenvolvendo um sistema de produção que alterna o plantio de soja e de camelina. A meta é maximizar a produção de óleo vegetal para a produção de biocombustíveis.

Planta da família da mostarda, a camelina é uma oleaginosa bastante resistente ao frio, o que permite aos agricultores norte-americanos que vivem em áreas com climas mais rigorosos cultivem uma segunda safra anual. “Encontrar uma cultura que sobreviva aos invernos rigorosos do Meio-Oeste é difícil, mas a camelina não só consegue como tem um ciclo curto”, explica fisiologista vegetal, Russ Gesch, que liderou o estudo.

O ciclo curto da camelina é fundamental para compatibilizar o encaixe dessa nova cultura com a produção de soja no verão.

Os pesquisadores testaram dois sistemas de produção. O primeiro, mais convencional, em que a camelina é plantada no final de setembro e colhida em junho pouco antes do plantio da soja (lembrando que o sistema foi desenvolvido para o hemisfério norte). No segundo, os pesquisadores plantaram a soja e a camelina de forma simultânea – a soja foi semeada entre as fileiras da camelina em abril, pouco antes a planta começar a florescer.

Esse segundo método gerou vantagens, especialmente do ponto de vista do uso de água. “Outras culturas de cobertura, como o centeio, usam muito mais água do que a camelina”, diz Gesch destacando que essa é uma questão relevante em áreas mais áridas.

Além disso, o plantio simultâneo levou a uma melhor produtividade da soja na comparação com a rotação de culturas. Isso porque permite alongar um pouco mais a ciclo da soja abrindo espaço para a seleção de cultivares de maior produtividade.

Adpatação Biofuels Digest