Conferência BiodieselBR 2018

39 usinas de biodiesel pretendem participar do Leilão 63

Na noite de ontem (11) a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou a lista de usinas que demonstraram interesse em tomar parte do 63º Leilão de Biodiesel. O certame será aberto no começo do mês que vem e vai arrematar o biodiesel necessário para abastecer o mercado no último bimestre deste ano.

Ao todo, 39 unidades produtivas encaminharam documentação para a agência reguladora. Uma a mais do que no leilão passado. A capacidade instalada inscrita é de 1,25 bilhões de litros, cerca de 0,6% a mais do que no bimestre anterior.

Retornos e saída

Comparando a lista atual com a do L62 teremos a primeira participação da Prisma como fabricante de biodiesel desde que arrendou a planta de Sumaré (SP) em julho e o retorno da Bio Vida depois de dois leilões ausente do mercado. Ambas agregam um menos de 13,1 milhões de litros à disputa. São 12 milhões de litros da Prisma e cerca de 1,1 milhão de litros da Bio Vida.

No momento, a Prisma está listada entre as usinas sem Selo Social. Isso pode mudar na habilitação final uma vez que a Sead acaba de publicar a transferência da titularidade do Selo que pertencia à usina paulista.

Em compensação, a Biopar MT vai ficar de fora pela primeira vez desde o L51. Apesar de vir participando dos certames, as vendas não têm tido das mais regulares. Nos últimos 12 bimestres, a empresa ficou sem vender em cinco. A usina tem capacidade para fabricar até 20,3 milhões de litros de biodiesel bimestralmente.

A diferença foi coberta pela Cofco que teve sua capacidade ampliada no começo de agosto.

Pendências

Temos quatro usinas com pendências: ADM de Joaçaba, Bianchini, Bio Vida e Prisma. Isso coloca a participação de 97,7 milhões de litros em dúvida. Essas usinas têm até a próxima segunda-feira (17) para corrigirem suas situações.

Para as três primeiras, os problemas são ausências de certidões. Problemas que – tipicamente – as usinas conseguem corrigir a tempo. Resolvidas as pendências 85,7 milhões de litros voltam à disputa.

Já a Prisma parece ter sido barrada pela regra que obriga produtores que estão há mais de um ano sem produzir a passarem por uma vistoria da ANP antes de retomarem atividade.

Essa regra ganhou destaque no L61 quando foi invocada pela ANP para inabilitar a Camera de Ijuí que estava voltando ao mercado depois de três anos inativa. A empresa conseguiu reverter a decisão da agência e participou do leilão vendendo 18,5 milhões de litros.

Uma cópia da lista de usinas pré-habilitadas para o Leilão 63 pode ser acessada clicando aqui.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com

Biodiesel direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal