BiodieselBR.com

Qua01102014

    Lembrar | Esqueceu a senha? Não é assinante? Assine já!
Back Notícias Destaques 2006 H-BIO: O novo diesel da Petrobras

H-BIO: O novo diesel da Petrobras

Um novo processo para a produção de óleo diesel a partir do processamento de óleo vegetal em suas refinarias, chamado de H-Bio, foi testado e aprovado pela Petrobras e será desenvolvido como opção ao suprimento de diesel já a partir dos próximos dois anos.

As principais vantagens

 

  • Permite o uso de óleos vegetais de diversas origens;
  • Não gera resíduos a serem descartados;
  • Incrementa a qualidade do óleo diesel, diminuindo o percentual de enxofre;
  • Complementa o programa de utilização de biomassa na matriz energética, gerando  benefícios ambientais e de inclusão social;
  • Flexibiliza a composição da mistura (carga) a ser processada na Unidade de Hidrotratamento (HDT) e otimiza a utilização das frações de óleo diesel na refinaria;
  • Perspectiva de minimização de testes veiculares e laboratoriais, sendo o produto final o próprio diesel, já utilizado pela frota nacional;
  • Requisitos normais de manuseio e estocagem.

 

Veja abaixo reportagem exibida no Jornal Nacional sobre o H-Bio



Resultado de pesquisas desenvolvidas pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Petrobras (Cenpes) nos últimos 18 meses, este processo de refino utiliza óleo vegetal como insumo para a obtenção de óleo diesel, através da hidrogenação de uma mistura de óleo vegetal e óleo mineral. Testes industriais recentes, realizados na Refinaria Gabriel Passos (Regap), confirmaram a viabilidade técnica e comercial do processo, cujo registro de patente já foi solicitado ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

O diretor da Petrobras ressaltou que o processo de implantação e consolidação da nova tecnologia do H-Bio acontecerá em duas etapas: na primeira (2007-2008), o desenvolvimento da logística de produção acontecerá em duas refinarias (Gabriel Passos - Regap, em Minas Gerais, e Repar, no Paraná). No médio prazo (2009 a 2011), a estrutura necessária se estenderá às demais refinarias que apresentem viabilidade de implantação. Para ilustrar, citou como exemplo a Reduc, que está localizada em uma área mais distante das regiões produtoras de grãos, e que merecerá um estudo à parte. "Cada refinaria será um caso específico", explicou.

O que é o H-BIO:

• Refino de petróleo que utiliza óleo vegetal como matéria-prima para obtenção de óleo diesel.
• Hidrogenação de mistura diesel + óleo vegetal

O passo a passo


O diesel sai da unidade de Destilação e segue para a unidade de Hidrodessulfurização (HDS).

Também vai para a HDS óleo leve (LCO), depois de passar pela unidade de Craqueamento (FCC).

Nesta etapa que é inserido o óleo vegetal que segue com o diesel e o LCO para a HDS. O produto que sai é um diesel tratado, de alt­a qualidade e baixíssimos teores de enxofre.

Depois são misturadas outras frações de derivados (que não precisam do processo de hidrotratamento) para formar o diesel final, aquele que chegará as bombas para ser consumido.

O derivado final é o diesel que conhecemos, com a mesma especificação e qualidade, não exigindo nenhuma adaptação de motores ou de sistemas de transporte e estocagem.

Passo a passo da produção do H-Bio
Imagem: Petrobrás

Rotas de Produção do H-Bio

Rotas de produção do H-bio

Potencial de uso do H-BIO

Curto Prazo
H-BIO em duas refinarias
 Uso de 10% de óleo vegetal corresponde à 256.000 m3/ano
 Óleo de soja exportado pelo Brasil em 2005 = 2.736.000 m3
 Óleo vegetal processado no HDT = 9,4% do óleo de soja exportado

Médio/ Longo Prazo

H-BIO em cinco refinarias
 Uso de 5% de óleo vegetal corresponde à 425.000 m3/ano
 Óleo de soja exportado pelo Brasil em 2005 = 2.736.000 m3
 Óleo vegetal processado no HDT = 15,5 % do óleo de soja exportado

Estágio Atual e Próximos Passos

Estágio Atual
1. Realizado teste industrial com óleo de soja em uma refinaria
(REGAP)
Resultado: Confirmada a viabilidade
2. Depositados pedidos de patente

Próximos Passos

1. Avaliar as condições para processamento nas demais refinarias, inclusive com outros óleos vegetais
2. Analisar a logística para o recebimento de óleo vegetal

Perguntas Frequentes

Qual a diferença entre H-Bio e Biodiesel?

A grosso modo, biodiesel é óleo vegetal sem glicerina, enquanto o H-bio é diesel de petróleo com 10% de óleo vegetal.

Então quer dizer que se eu adicionar 10% de óleo vegetal no diesel terei H-Bio?

Não! O óleo vegetal adicionado ao diesel recebe hidrogênio em sua composição.

Por que estão comparando o H-Bio com o biodiesel?

O único motivo para isso é relação dos dois combustíveis com o óleo vegetal.
Porém, a comparação mais correta seria com a adição do etanol a gasolina. Pois antes de se adiconar álcool a gasolina foi necessário muita pesquisa e o desenvolvimento de uma tecnologia (gasolina tipo C e tipo C Premium), assim como acontece agora com o H-Bio. Além das principais vantagens serem as mesmas, de caráter ambiental. Enquanto com o óleo vegetal no diesel temos redução do enxofre, a adição de etanol na gasolina apresenta reduções nas emissões de CO2.
A adição de óleo vegetal ao diesel é feito nas refinarias, enquanto o etanol é adicionado a gasolina nas distribuidoras.

Quando será vendido o H-Bio?

Duas refinarias iniciarão os trabalhos com o H-Bio a partir de 2007. Porém apenas entre 2009 e 2011 que teremos ampla distribuição deste combustível.

Quem é o responsável por este combustível?

As pesquisas e seu desenvolvimento está sendo feito pela Petrobras. A patente foi solicitada e está em andamento.

Por que foi divulgado este combustível agora, sendo que sua patente ainda está em andamento e sua a produção começa só no ano que vem?

A pressão da sociedade está cada vez maior para que o Brasil tenha alternativas energéticas. A Petrobrás está passando por uma crise no fornecimento de gás com a Bolívia e ainda o governo anunciou a auto-suficiência no petróleo, para logo depois, Evo Morales anunciar a nossa dependência do gás boliviano. Dessa maneira o H-bio vem em boa hora.

E ainda temos os baixos preços da soja. O lançamento antecipado do Hbio vem para tentar acalmar os produtores de soja. Talvez este seja o motivo mais forte para divulgação do Hbio neste momento.

Como fica o biodiesel nessa história?

Para o biodiesel não muda nada pois:
- O Biodiesel continua sendo um combustível melhor que o H-Bio;
- Continua em vigor a obrigatoriedade prevista em lei de adição de 2% e posteriormente 5% de biodiesel
- A meta é gradualmente aumentar a porcentagem de biodiesel ao diesel até não precisarmos do H-Bio.
A decisão da Petrobrás em adicionar óleo vegetal ao diesel, só contribui para o programa de biodiesel do governo e o biodiesel em geral. Contribui na medida que os produtores tem um comprador a mais para suas oleaginosas. Muito embora a Petrobras tenha sinalizado que utilizará apenas óleo de soja.

 
Fonte: Petrobras e BiodieselBR

Quem leu esta notícia também se interessou:

Comentários  

-1 Thiago
20 Maio 2006 - 08:18 am

Para o desenvolvimento do Biodiesel no Brasil o H-BIO pode afetar o custo da materia prima do Biodiesel? ja que a materia prima e ponto fundamental da viabilizacao do biodiesel, e com a chegada desse novo Diesel o preco do Oleo vegetal encarecer por haver uma procura exedente do mercado
1
-1 SérgioLuiz Marques
20 Maio 2006 - 08:35 am

Depois dessa notícia, como é que ficam as refinarias que estão quase que prontas para produzir o Biodiesel?
2
0 Telmo Heinen - Formosa GO
20 Maio 2006 - 14:40 pm

Caro amigo, para viabilizar econômicamente o biodiesel, tem que torcer para o preço do petróleo subir... não demorará e estará em US$ 100.00 por barril.
Atualmente o petróleo está cima de US$ 70.00 por barril de 159 litros, o que faz com que uma tonelada de petróleo, densidade 0,80 seja aproximadamente 550.00 dólares, mesma cotação atual do óleo de soja em Chicago.
Mas, girassol, amendoim, mamona e outros óleo estão cotados a 700, 800 ou mias dólares a tonelada.
Só o óleo de dendê vale menos de 400 dólares a tonelada...
Então veja, para viabilizar o biodiesel o petróleo tem que subir acima de 700 dólares a tonelada ou seja quase 100.00 por barril...
Abs,
3
-1 [email protected]
20 Maio 2006 - 20:48 pm

Fico assustado com a profundidade da analise emitida pelo destemido jovem,sobre o biodiesel, porque so pode ser jovem aqueles aos quais perdoamos, na esperanca que a maturidade os capacite.Espero ,porem, que esta postura nao seja atavica , tendo seu progenitor poiscao semelhante quando do inicio do proalcool
4
+1 Telmo Heinen - Formosa GO
21 Maio 2006 - 19:01 pm

O foco é biodiesel mas a questão é a economicidade para a produção de óleos... por isto os estudos de custo do biodiesel não contemplam o custo das lavouras e sim "tomam" as cotações do óleo no mercado, que já existe e é muito bem estruturado.
Quem pensa diferente está enganado. É óbvio que para desenvolver-se o biodiesel merece isenções tributárias e quem sabe até incentivos. No mínimo estímulos.
O mais correto seria fabricar motores que utilizam diretamente os óleos vegetais, mas como o poder reinante não permiitirá isto (Políticos nunca defendem nada que seja LÓGICO técnicamente), vamos de biodiesel mesmo e até de H-Bio...
Abs, Formosa (GO)
5
+1 Teco
22 Maio 2006 - 11:18 am

Acho que muita gente vai perder dinheiro investindo no Biodiesel....
6
0 Teco
23 Maio 2006 - 06:22 am

como você falou acima.. para viabilizar biodiesel o barril de petroleo tem que ser acima de 100 dolares... e quem ta comprando é a petrobras... se a petrobras produzir h-bio, as outras empresas de biodiesel quebram... preço do diesel vendido para petrobras esta em U$0,50 (cif) e esta comprando biodiesel a U$0,90 (fob), e com h-bio ela ta tendo economia com importação, o que você acha que ela vai fazer?
7
0 Joel Jose Passos
23 Maio 2006 - 13:08 pm

Prezados amigos, vejamos alguns pontos interessantes.
1 - A petrobrás vai comprar óleo do mercado, logo isso vai favorecer os produtores de soja (5 grandes grupos)
2 - O volume de óleo é tão pequeno se comparado ao volume de diesel.
3 - Ninguém seu estado normal vai montar uma unidade de produção de biodiesel, sem ter outra (mesmo que pequena) para extrair óleo.
4 - Caso a petrobrás não preço para o biodiesel...vamos exportar e aí o preço melhora.
5 - Se a soja sofrer uma nova onda de recuperação de preço no mercado internacional...será que vai ser possível fazer H-Bio...

Tenhamos coragem de enfrentar os desafios, afinal somos brasileiros e não desistimos nunca...

Belo Horizonte/MG
8
0 Carlos Augusto
24 Maio 2006 - 04:57 am

De novidade nesse processo da Petrobrás, não tem nada, não sei porque buscar patente. Isso é mais uma estratégia, buscando minimisar o risco de expanção descontrolada de auto produção, e distribuição clandestina de Biodiesel. Com o poder econômico nas mãos, a Petrobrás poderá incorporar bem mais que os 10% citados, evidente que ha todos os beneficios ja citados, mas em breve não haverá escala de matéria prima a preços viáveis para os pequenos. Hoje ja se impõe uma dificudade para aquisição de álcool, metanol ou etanol para estas usinas, por conta de grandes contratos de venda futura, os incentivos fiscais ainda são pífios. Resta-nos então, como pesquisadores e produtores autônomos trabalhar na linha do óleo vegetal, buscando produzir nossas oleoginosas e nosso álcool etanol. Ao amigo Thelmo, sugiro fazermos um movimento em função da regulamentação do óleo vegetal, tal qual sugerido na proposta de projeto de lei do Sr. Fendel.
9
0 Teco
24 Maio 2006 - 06:36 am

o Telmo tirou as palavras da minha boca com os comentarios acima!
10
0 chicoseverino
30 Maio 2006 - 21:38 pm

Que garantia terão aqueles que montarão suas usinas de biodiesel, contando com promessas de governos? Será que para o futuro do pequeno agricultor, não seria melhor o governo incentivar através de cooperativas,a criação de pequenas usinas de óleos vegetais e através de medidas provisórias que ele tanto gosta, obrigar os produtores de motores a fabricar motores próprio para o consumo de óleo vegetal e assim sair do jugo de Estatais dominantes como é a Petobrás,já que nós brasileiros em nada se beneficiou com esta tão decantada suficiência em petróleo.Em l900 e Araci de Almeida, a Alemanha já usava este tipo de óleo.
11
0 Guest
31 Maio 2006 - 13:58 pm

oleo vegetal so vai deixar a bunge feliz!!!!!!!
12
0 Missao TAnizaki
06 Junho 2006 - 07:42 am

O “Novo Diesel”, combustível alternativo, chamado de H-Bio é o produto obtido da destilação da mistura de parte/fração do petróleo e o óleo vegetal (pode ser o bruto que é o mais barato) ? ? ? ? ? ? ? ?

Na Internet há muitas informações sobre os óleos vegetais que estão sendo utilizado como combustível alternativo para motor Diesel/Elsbetti/Elko aqui no Brasil, mesmo que de forma ilegal, e lá fora, em diversos países.

Tudo leva crer que há interesses Bilionários nesse caso que vão para mãos de uma minoria, em detrimento de um sistema capaz de solucionar os problemas sociais do Brasil.

Cabe a Sociedade Brasileira, através dos nossos Governantes e Parlamentares buscar explicações e mais transparência sobre esse processo de produção do “Novo Diesel” denominado H-Bio.

Os pequenos produtores podem, através de cooperativas, produzir a matéria prima (soja, mamona, amendoim, palma, entre outros) e através do seu processamento produzir o Óleo Vegetal Combustível para qualquer motor Diesel – isso pode proporcionar a melhor distribuição de renda de toda a história brasileira e como um passe de mágica fazer a criminalidade desaparecer nos grandes metrópolis do país. Pode reveter o processo de migração dos cidadão do campo para as grandes cidades e, além disso, gerar milhões de novos empregos dígnos que o povo brasileiro merece e que muitos prometeram e não souberam concretizar nada.

As Cooperativas podem se tornar uma grande concorrente da PETROBRÁS e isso a meu ver é a grande questão para o desenvolvimento/lançamento, do BIODIESEL, onde a GLICERINA é um subproduto/lixo que poderá ser descartada ao meio-ambiente e comprometer a nossa Biodiversidade, assim como o “Novo Diesel” que não passa de uma mistura de Óleo Diesel com Óleo Vegetal “Refinado”.

Recomenda-se UNIÃO dos Brasileiros. Juntos podemos, através dos governantes e parlamentares, encontrar as soluções para que se libere a produção de Óleo Vegetal, como combustível, e que possa ser produzido/distribuído pelas Cooperativas dos Pequenos Produtores, mesmo que for para ferir os interesses da minoria poderosa que já não tem mais espaço para abusar de toda a Sociedade Brasileira.

Aspecto importante: o Óleo Vegetal apresenta características bem superior ao DIESEL e BIODIESEL no que diz respeito a Eficiência Energética. Essa eficiência está relacionada á Quilometragem que um veículo pode fazer com o mesmo volume de um dado combustível. O Desenvolvimento de tecnologia Ellsbet / Elko foi tentado aqui no Brasil pelo Grupo Garavello, mas o cidadão foi assassinado, segundo informações que podem ser acessadas na Internet.

Missao Tanizaki
Fiscal Federal Agropecuário
Bacharel em Química

Fone: 3218 26 27 / 9246 58 91
Esplanada dos Ministérios, Bloco “D” Sala340-B, Brasília/DF
13
0 LUIZ ANTONIO BERTASSI MIRANDA
06 Junho 2006 - 09:21 am

SOU ACADÊMICO DO 6º PERÍODO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM QUÍICA INDUSTRIAL NA UTFPR( 1º UNIVERIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ) ANTIGO CEFETPR.
TENHO MUITO INTERESSE EM CONTRIBUIR COM A MINHA PARTCIPAÇÃO E ETUDO SOBRE ESTE NOVO E DESENVOLVIDO, AINDA DESCONHECIDO PELO MEIO ACADÊMICO O H BIO- NOVO DIESEL DA PETROBRÁS.
a GRANDE TENDÊNCIA DE MERCADO QUE APONTA PARA A SOLUÇÃO DE CRIARMOS UM PAÍS CADA VEZ MAIS INDEPENDENTE DA UTILIZAÇÃO DE FONTE ENERGÉTICA IMPORTADA COMO O BIO GÁS, RESCENTEMENTE PREJUDICADA PELO INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DO PRESIDENTE DA BOLÍVIA EVO MORALES EM SE APROPRIAR DA PRODUÇÃO E CONTROLAR ATRAVÉS DE MEDIDAS POLÍTICA A PRODUÇÃO DE GAS NATURAL, PEDE UMA SOLUÇAO EMERGENTE QUE VENHA PROPICIAR UMA TRANQUILIDADE SEM AFETAR A NOSSA PRODUÇÃO INDUSTRIAL, JÁ QUE O SEU CONSUMO ENERGÉTICO REQUER GRANDE QUANTIDADE DE ENERGIA FÓSSIL.
QUAL É O CAMINHO QUE DEVE SER DISCUTID PELA SOCIEDADE SOBRE O BIODESEL QUE É TOTALMENTE CORRETO SOB O NTO DE VISTA AMBIENTAL E ECONÔMICO, OU AFIRMAR QUE A CRIE DO SOJA OCAIONADA PELO BAIXO PREÇ NO MERCADO INTERNACIONAL VENHA TRAZER O COMPROMISS DE PRODUZIRMO GRÃOS NECESARIAMENTE PARA SEREM UTILIZADOS NA MISTURA DO PREPARO DO H BIO.
SERÁ QUE A SOCIEDADE JÁ CONHECE ESTA ALTERNATIVA E A SUA VIABILIDADE OU AINDA TEMOS QUE DISCUTIR EM UMA AMPLITUDE MAIOR ENVOLVENDO OS PILARES DO CRESCIMENTO. PRODUÇAO AGRÍCOLA, A SOCIEDADE ORGANIZADA, ENTIDADES EDUCACIONAIS DE PESQUIA E GOVERNO
14
0 Teco
07 Junho 2006 - 07:54 am

Respondendo o Missao TAnizaki,
o dono do grupo faliu deixando na mão uma porrada de gente sem carro e sem dinheiro!
foi processado por "Cantra ordem economica" pois causou estrago na economia brasileira!
com isso ele esta proibido e seus socios e sua mulher de montar empresa no brasil no periodo de 10 anos.
Ele tambem é acusado de mandar matar o amante da mulher, passou até na globo no programa linha direta!
15
0 Telmo Heinen - Formosa GO
07 Junho 2006 - 20:44 pm

Gente, o mais correto seria lutar pela implantação de fábricas de motores que utilizassem os óleos vegetais ao natural, apenas filtrados.
Quando o Poder Econômico reinante irá permitir isto? Never... (Névias de pitibiriba!)
Mas, se os agricultores impusessem isto em suas reivindicações, quem sabe...
Abs,
16
0 Estevao
14 Junho 2006 - 06:51 am

Olá Sr. Telmo!
Vou começar! já liguei para 3 deputado combrando atitudes. Com certeza em 1 único dia todos os deputados e outros..., poderão ficar sabendo das reivindicações, alguém vai ter que se explicar!
17
+2 Paulo César
05 Julho 2006 - 22:09 pm

A grande especulação hoje é que o H-bio e o Biodiesel serão programas complementares na utilização de uma matriz energética vegetal para o país. O fato é que a idéia inicial do H-bio, era a elaboração de um projeto que utilizasse uma fonte vegetal, da mesma forma que o Biodiesel, economicamente mais viável para a Petrobrás. Surgiu então o H-bio. A produção do Biodiesel é um processo de transesterificaçao de óleos vegetais (converção dos triglicérides em outros ésteres craqueados) em que seriam formados ésteres com cerca de 16 a 17 carbonos, dependendo do óleo vegetal utilizado. Ou seja, ésteres excelentes em número de cetano. O grande pesar na produção do Biodiesel por transesterificaçao é o subproduto chamado glicerina! A imprensa diz: além de produzir Biodiesel será produzido a glicerina que pode ser vendida para a produção de sabão. Se o Biodiesel for implantado para a demanda de consumo nacional a oferta da glicerina seria tanta, que não haveria mercado para ela, gerando lixo. Outro fator, muito mais importante é como ocorrerá a separação da glicerina. Especificações internacionais determinam um teor muito baixo de glicerina no diesel, cerca de 10 ppm em massa, e como glicerina e ésteres tem afinidade, o processo de refino do Biodiesel sairia caro, para a Petrobrás e para o consumidor final. O H-bio é grande solução proposta pela a Petrobrás. As unidades de hidrotratamento (UHDT) já estão prontas em algumas refinarias e em pleno vapor, já que as UHDT's existem para melhorar a qualidade do Diesel reduzindo enxofre, nitrogênio, instaurações e outros. Hidrotratar (hidrogenar) óleos vegetais significa formar n-parafínas (melhores do os ésteres do Biodiesel pois n-parafina com 16 carbonos é o ideal em números de cetanos) e n-propano (ao invés da terrível glicerina). Ou seja, hidrogenar óleo vegetal é praticamente produzir o próprio Diesel. O Biodiesel é lindo, mais sua produção e logística não é viável. O Biodiesel será vendido como B2, B5, já o H-bio, com todo a sua estrutura já pronta será produzido com carga de 10 a 15% em massa de óleos vegetais de qualquer natureza!
18
0 durval pereira
08 Agosto 2006 - 08:35 am

Caros amigos, não se trata só de preços, ou, de saber qual o melhor... trata-se sim de vários factores. eu digo isto porque vejamos como se poderia processar em Portugal, meu pais, ou até no Brasil, nosso irmão de coração!
Primeiro criará mais postos de trabalho, visto que o Alentejo está a ficar cada vêz mais deserto, e existem milhares de metros quadrados por cultivar, falta portanto de mão de obra e falta sobretudo de população, o Biodiesel viria a contribuir de forma exelente, para que houvesse mais população e emprego no Alentejo.
Porém há o facto de op biodiesel ser muito menos poluente que o diesel existente.... deste modo caros amigos, deixaria de haver a guerra do petróleo, porque uma grande parte do mundo deixaria de requerer muito crud, ou brent!
apenas teria-mos de produzir girassol, amendoas,etc!
É certo que para muitos politicos o biodiesel é visto de maneira diferente, mas SE PENSAREM BEM, FAZ CRESCER A MÉDIO PRAZO A ECONOMIA DE UM PAIS, PORQUE TEMOS DE CRIAR ENERGIAS RENOVÁVEIS.... NÃO POLUENTES! para nosso bem e do planeta....
é certo que temos de fazer sacrificios para que se possa produzir em larga escala, mas o que não falta são terrenos de cultico e empresas quew possam explorar a sua produção. por isso mãos á obra e esperemos que os estados de cada pais, forneçam apoios para quem quer apostar no biodiesel....
19
0 Joel Jose Passos
08 Agosto 2006 - 09:11 am

Prezados Senhores já existe um Kit de conversâo como os da ATG e da Fendel Tecnologia. O problema é que algum esperto colocou em lei no Brasil que nâo pode ser utilizado óleo vegetal como combustível. Todo veícul diesel que for convertido poderá ser preso...acredite prisâo por tentar ser limpo.

Joel Jose Passios
Belo Horizonte/MG
20
-1 Bruno Freitas
18 Agosto 2006 - 14:18 pm

Bom galera, meu nome é bruno tenho apenas 19 anos , faço curso superior de direito e trabalho em uma empresa de biodiesel.Bom, a única coisa que me pergunto é como o Hbio se tornará viável se o Hidrogênio têm um valor tão alto.
Fiz algumas pesquisas e descobri que no percuso de 100 Km, um carro a hidrogênio gastaria uma quantidade de hidrogênio q corresponderia a 9,10 dólar ,ou seja, praticamente 0,91 dólar cada 10 KM.
Já utilizando a gasolina o custo dos 100 KM seria de 2,40 dólar, 0,24 dólar a cada 10 KM.
INVIÁVEL...
hidrogênio é muito caro... sua adição no diesel sairá cara tbm.
é isso...
abraços a todos...
21
+1 robson
31 Agosto 2006 - 09:22 am

O bio diesel deveria ser feito de preferêcia com óleo de mamona, mas existe um pressão por parte dos grandes produtores de soja, para que essa seja utilizada com materia prima. Todo mundo sabe que o nordeste seria um grande produtor de mamona e poderia ajudar e muito a sociedade. dando-as emprengo e renda. Além disso a mamona deixaria de ser uma praga e passaria a ser uma fonte de renda. E seus residuos podem ser usados como fertilizante natual na própia plantação.
22
0 Telmo Heinen - Formosa GO
31 Agosto 2006 - 21:34 pm

Este poeta atende pelo codinome incompleto, apenas "robson" - como muitos, não sabe fazer contas, não diz onde mora mas tem uma opinião "abalizada", passou por aqui e deixou o seus rastro... e, naturalmente tem preconceito contra os plantadores de soja, não faz a menor idéia porque os alimentos estão baratos e, muito menos faz idéia de que que o Brasil exporta óleo de soja por 60 dólares o barril, quando o petróleo está acima de 70 pelo mesmo barril, com muito menos óleo dentro.
Acorda, a pressão é para melhorar o preço da soja se não daqui a dois anos ela valerá o dobro e daí meu amigo, adeus comida barata...

Abs,
23
0 Teco
03 Outubro 2006 - 11:54 am

todo mundo fala que a mamona é a solução...
-
quem falar isso denovo comigo tem que vir com a analise fisico/quimica na mão.
-
não adianta falar o que acha que é o certo, tem que saber se dá certo antes.

Teco
24
0 Ricardo
18 Outubro 2006 - 11:30 am

O H-bio e o biodiesel, promoverão uma nova expanção da fronteira agrícola, o governo vê aqui a oportunidade de dar um folego a crise da agricultura do Brasil, a questão ambiental atende a necessidade real de sustentabilidade, focada na lógica do agro-negócio, em coformidade ao direito ambiental. O fato de expandir a fronteira agrícola, pode gerar danos por ocupação de terras destruindo ecossistemas locais como a Cerrado, principal domínio morfoclimático afetado pela expansão agrícola, no entanto a pequena própriedade com as divisas geradas pela venda de sua materia prima pode entrar em um ciclo de modernização. Creio ainda, que o governo pode criar incentivos ao acentamentos sociais, pautando-se na agricultura familiar, veja bem a propósta é de um processo de inclusão social, que fomentará a condução da reforma agrária, com melhor qualidade e velocidade. Para as cidades, os automóveis utilizando mais biodiesel e h-bio, diminuirão a emissão de gazes estufas a longo prazo, fazendo do Brasil um referência mundial em preservação ambiental, esta é minha crença nesta tecnologia de ponta.
25
-1 Telmo Heinen - Formosa GO
18 Outubro 2006 - 16:35 pm

Ricardo! "gazes estufas" é demais...
De onde pessoas como você tiram estas fantásticas conclusões acima, quase totalmente equivocadas?
Onde é que nós falhamos pelo Amor de Deus?
Será no português ensinado nas escolas?

Abs,
26
0 Anderson de Oliveira Dias
19 Outubro 2006 - 07:17 am

Muito interessante o trabalho da petrobras no desenvolvimento desses combustiveis, estou cursando o 2° ano do ensino medio e fazendo uma pesquisa sobre o desenvolvimentos desses combustiveis e estou achando gostando muito.
27
0 EDISON
19 Outubro 2006 - 10:48 am

Agora, com tantas fábricas sendo montadas para o bio, vamos ter um agravante de fornecimento de matéria prima para a produção do mesmo.
28
0 WILKER CARNEIRO
25 Outubro 2006 - 17:59 pm

Minha dúvida? Sei que a operação para as Distribuidoras com o Biodiesel será similar a atual da Gasolina. As Distribuidoras são resp. pela aquisição do Anídro para a mistura com a Gasol A. E no caso do H-BIO como Funcionará?
29
0 Jamerson
26 Outubro 2006 - 08:09 am

O H-bio e o Biodiesel seriam uma nova revolução na industria de combustiveis, mas ainda teriam que produzi-lo não para o consumo minimo, mas para ajudar as empresas petroliferas a baixarem o nivel de petroleo, fazendo assim, o petroleo ser renovado com mais rapidez sem que seja usado muito frequentemente como é usado hoje.
30
0 celso belem de souza
26 Outubro 2006 - 13:52 pm

Esse tal de telmo se acha. Deve ser um tremendo Alkminista.
31
0 fgkiko
13 Novembro 2006 - 14:01 pm

como seria bom ter esta participação/curiosidade sobre etanol!! Alguma dica?
32
0 Arlindo M. Freire
13 Novembro 2006 - 17:43 pm

O progresso da tecnologia do biodiesel - está verdadeiramente impressionante, exceto no que se refere à matéria prima em relação com a região nordeste do Brasil, mais precisamente quanto ao Pinhão-Manso.
-Como assim?
Se não houver atenção para isto - poderá ocorrer, em futuro próximo, um colápso na produção que se faz necessária para o atendimento das usinas qNo semi-áridoue estão em fase de implantação e, portanto para o descrédito acerca do H-BIO e Biodiesel.
No semi-árido Nordeste, por exemplo,até mesmo nas caatingas onde vem sendo explorado o petróleo, com profundidades de 300 a mil metros, encontramos o Pinhão-Manso ou Roxo nativo, sem jamais ter sido plantado, nos terrenos cobertos de matas rasteira, onde os animais comem as suas folhas, deixando de lado a Jatropha curcas resistente às secas durante mais de 50 anos.
Basta isto para para reconhecer o Pinhão na perspectiva de fonte para o biodiesel,assim como meio de emprego para a mão de obra sem trabalho, vivendo ao deus dará - na miséria.
Esperamos que tal coisa não venha acontecer e que o Nordeste se torne um grande produtor de Pinhão-Manso, mediante o apoio governamental a todo setor agrário de pequenos, médios e grandes, sem exceção, mesmo levando em conta que o pequeno e o médio são os mais necessitados.
O governo Federal, através do seu programa biodiesel - deveria convocar todos os governadores,empresários, líderes de associações, sindicatos, cooperativas e outras entidades para um seminário de expansão do biodiesel, principalmente nas regiões Norte e Nordeste.
Se não houver providência dessa natureza, o programa biodisel, como tantos outros ficará limitado a algumas ilhas - locais e regiões onde já existe grande produção de oleaginosas - custos elevados, fazendo com que o produto final, também tenha preços altos.
33
0 Rodrigo
27 Novembro 2006 - 12:12 pm

Lendo os comentários, me chama a atenção o que nosso amigo Telmo escreve. Concordo com os apontamentos dele. Com os atuais níveis de preço dos óleos vegetais, o grande desafio é convencer o governo a garantir a produção industrial de motores movidos a óleo vegetal. Acredito que dessa forma há a criação de uma demanda, com mercado praticamente certo para a produção de óleos vegetais viabilizando assim a tecnologia da forma mais rápida possível. Em contrapartida, o poder público deveria aproveitar a situação para promover a reforma agrária, distribuindo assentamentos bem estruturados, com escolas de tecnologia agroecológica e organizados via cooperativas, ampliando a diversidade de fontes de renda do agricultor e distribuindo renda. Obviamente existe resistência a essas atitudes, mas a mobilização deve ser forte para que tenhamos uma mudança da realidade. Acredito que as novas fontes eneréticas podem ser o motor para alavancar o desenvolvimento do país, pois haverá uma série de atividades meio para este fim.
34
0 Leandro
28 Novembro 2006 - 13:59 pm

Os benefícios proporcionados pelo Biodiesel e H-BIO ao meio ambiente é um assunto que está nas mesas de debates, de pronto o que se percebe é que, o H-BIO apesar de trazer um benefício ambeiental, que se comparado ao biodiesel é muito menor; deve ser encarado também como uma alternativa de recursos energéticos muito importante, pois reduz a emissão de um gás extreamente nocivo ao meio ambiente que é o Enxofre, provocador de chuvas ácidas.
Comprovando-se a eficiência e eficácia superiores do H-BIO em relação ao diesel de petróleo, deve-se estudar a implantação imediata di H-BIO pois ele reduz o déficit energético do país. O Biodiesel deve receber apoio firme de todos os segmentos da sociedade para que seja implantado, pois o combustível biodiesel reduz as emissões de CO2 que provoca o efeito estufa, e por isso possíbilita as emissões de "CO2-BONDS"(títulos comerciais que se referem a diminuição da emissão de CO2).
Talvez se for possível a junção dos dois combustíveis num processo imediato que substitua o diesel de petróleo o Brasil possa se tornar modelo de preservção ambiental sem frear a economia, pelo contrario, acelerando-a, somando-se os benefícios dos dois combustíveis, num primeiro momento seria ideal se fosse possível uni-los.
Quanto mais pudermos nos distanciar das fontes fósseis de energia mais rápido poderemos construir um sistema de desenvolvimento sustentável, neste momento imagino que o ideal dêva ser a junção H-BIO+BIODIESEL, posteriormente, e o mais rápido possível deixar de lado o H-BIO para que se construa um planeta mais limpo com o BIODIESEL investindo pesado nesta fonte desde já.
35
0 Luis
29 Novembro 2006 - 06:56 am

Telmo com certeza é mais um daqueles que só pensa no próprio bolso, colocando isto acima dos interesses do país ou até mesmo da humanidade como um todo.

Aproveitando o espaço, acho muito oportuno o momento para fazer algumas observações:

São pessoas como estas que não permitem que fontes "limpas" de energia, como o combustível de hidrôgenio que JÁ EXISTE e sua utilização SE MOSTROU VIÁVEL SIM, deem certo.
Como já vimos (ou melhor, deixamos de ver), o combustível de hidrogênio foi totalmente abafado pela mídia, justamente pelo pressão do lobby desses hipócritas, por não ser interessante que muitos barões por aí percam seus rios de dinheiro que o velho petróleo os garante.

Será que "vocês" não enxergam que esta é uma EXCELENTE oportunidade para o país buscar ALTERNATIVAS à combustíveis que já se mostram ineficientes e altamente poluentes com a crescente revolução tecnológica(e que além disso, precisam ser importados).

Será que a ganância(veja bem o termo: Ganância, não lucro) sempre virá em primeiro lugar, mesmo que isso signifique a permenente dependencia do país por fontes de energia, ou mesmo que isso signifique continuar utilizando combustíveis altamente poluentes, sufocando quaisquer outras alternativas mais viáveis em nome do maior lucro possível.

Se é assim que pensam pessoas como você, saibam que o verdadeiro lucro nem sempre se resume a dinheiro e ações. Lembrem-se do mundo que vocês estarão deixando para seus filhos.

E quando forem reclamar do país, lembrem-se das inumeras oportunidades do engrandecimento nacional que estão sendo jogada no lixo por vocês,

Não sou mais um daqueles "nacionalistas" xiitas (e cegos com relação aos inúmeros problemas). Justamente por estar cansado de ver os problemas se repetirem, peço para colaborarmos e abrirmos nossas mentes na tentativa de achar solução para problemas tanto nacionais(menor dependência externa,maior crescimento economico), como mundiais(menos poluição, mais qualidade de vida).

Quanto à forma depreciativa ao se referir ao "jovem" logo no inicio, se esquece o caro colega Telmo que o mundo que foi entregue aos jovens dde hoje com todos os seus problemas é consequência direta dos atos das gerações passadas.

Por favor reflitam! E se eu ofendi alguem, não foi minha intenção, a despeito do comentário aparentemente de carater pessoal no inicio e no final deste texto.
36
0 Telmo Heinen
19 Janeiro 2007 - 07:23 am

Caro Teco, o H-Bio dará apenas uma sobre-vida ao petróleo. Sua tese é falsa!
37
0 Charles
19 Janeiro 2007 - 07:24 am

O H-Bio, deve ser baseado no Bio -petro. Tecnologia desenvolvida na decada de 80 a qual faz o craqueamento do oleo vegetal em deteminadas condiçoes e se obtem frações leves quais após destilaçao fracionada, podemos obter produtos semelhantes aos obtidos no processo de refinação do petroleo.

38
0 Cassio
19 Janeiro 2007 - 07:25 am

Como o uso de óleo vegetal assusta o pessoal do monopólio do petróleo...
39
0 Telmo Heinen - Formosa GO
19 Janeiro 2007 - 07:29 am

Por quê 5 grandes grupos?
Qual é a cotação atual do óleo de soja Bruto? - R: Cerca de 550 dólares por tonelada. Quanto vale a tonelada de Petróleo? Com 70 dólares por barril, equivale a 550 dólares por tonelada e tira-se só 30 % de óleo diesel... Quanto vale o óleo diesel que a Petrobrás importa? R: 90 dólares por barril de 159 litros, isto dá quase 600 dólares a tonelada. Lembrem-se: Uma t de óleo dá mais do mil litros...
Quanto vale o óleo de girassol? de amendoim? R: Mais de 700 dólares a tonelada. E, de mamona? R: Mais de 800 dólares a tonelada.
Ah! A soja tem mais uma vantagem, seu farelo é altamente vendável.
Então, enquanto o óleo de soja não atingir 700 dólares a tonelada, o que faz muitos anos que não acontece - será altamente viável usá-lo como biocombustível. E olhe, todo combustível novo merece estímulos e isenções, não é mesmo? Portanto... Para terminar, o único óleo mais barato é o de dendê, vale menos de 500 dólares a tonelada, mas fica longe.
Abs,
40
0 Norberto Pereira Duarte
04 Fevereiro 2007 - 13:24 pm

A PETROBRÁS é uma referência internacional na área dos petróleos, quer em termos de quota de mercado (10ª em 2005), quer como empresa que está a perspectivar-se estrategicamente como empresa de energia alargando o seu negócio. Todas as grandes companhias petrolíferas adoptararm igual comportamento.

Acresce que o HBio é ainda um produto petrolífero caro além de que ainda contribui para o que não desjamos nos efeitos mas que infelizmente temos que usar. Quem se lembra da Conferência do Rio? Agora choramos com a Conferência de Paris!

É neste sentido que saúdo a Petrobrás e a Investigação Brasileira pelo que fazem para que o futuro seja melhor. Amanhã teremos o BIO-OIL aproveitando a possibilidade de transformarmos a biomassa mais comum em combustível, porventura teremso um nuclear não poluente. Até lá teremso que rfacionalizar os consumos de energia, ter melhores e mais eficientes viaturas e casas e utensílios domésticos e processos mais limpos com menos energia consumida para obtermos o mesmo produto.

Como Português vibro com tudo o que esse grande Brasil faz bem! Do futebol à investigação científica, do samba ao preparar os desafios para vencer o futuro!
41
0 Sérgio Inácio Gomes
06 Fevereiro 2007 - 11:46 am

As polêmicas entre o H-Bio ou Biodiesel são detalhes. O importante é transformar discursos e intenções em programas práticos. Acredito na boa intenção e discursos do governo, mas sem nossas críticas, ficará apenas nisso, vamos analisar o seguinte no "PAC Energia":
Projeta-se dentro das premissas do PAC Energia, o programa de investimentos no setor, estratificado entre a natureza dos investimentos em cada região, verifica-se a soma global de investimentos em 219,8 bilhões de reais até 2010 e 189,2 bilhões de reais após 2010. Verifica-se também por meio dessas previsões que os investimentos para o segmento de energia elétrica até 2010, representa 28,5% do total, o de petróleo e gás natural representa 65,1%, e 6,3% para o segmento das energias renováveis. Para os anos posteriores a 2010, verifica-se o incremento elogiável, para as energias renováveis para 14,3%. Entretanto, os investimentos para o segmento de petróleo e gás após 2010, prevêem uma elevação para 73% do total, parecendo priorizar o que estrategicamente não deveria garantir tanta prioridade, uma vez que trata-se de recursos finitos de natureza fóssil e desaconselháveis ambientalmente, como também parece existir um consenso mundial sobre tal fato.
42
0 julia
11 Março 2007 - 11:19 am

quero agradeçer a vcs ke inventaram esse tema lenvantado graças a vcs eu tirei um 10 em biologia muito obriga ..
continue assim que esse endereço sera sempre visitado ta muito obrigada..
julia moreno....
43
-1 Telmo Heinen - Formosa-GO
11 Março 2007 - 13:49 pm

Colou da qui e a Professora não descobriu?
Boa!

abs telmo heinen @yahoo.com.br
44
0 Nayara
07 Maio 2007 - 13:25 pm

Gostaria de agradecer toda essa máteria escrita por vocês, pois com ela vou poder me orientar para o futuro do mundo. Por que o jovem pracisa saber como se proteger o Meio Ambiente.
45
0 Missao Tanizaki
25 Junho 2007 - 04:52 am

O H-Bio pode ser bom para a PETROBRÁS, mas é uma pseudo-SAÍDA para os produtores de soja.

O H-Bio é um concorrente do Biodiesel. Como ficarão aqueles que investiram no Bio-diesel ?

Vejo também como OUTRO TIRO NO PÉ, pois servirá para promover o AVANÇO da produção de Soja rumo ao NORTE e com isso mais devastações florestais ocorrerão e todos sabem que isso vai Contra a Preservação do Meio-Ambiente e a Biodiversidade e favorecerá mais as MUDANÇAS CLIMÁTICAS.

A cultura do PINHÃO MANSO pode / deve ser fomentado na maioria dos estados brasileiros, servindo para recuperar áreas Degradadas que poderão se transformar em Áreas Desérticas.

Empresários e Governo dos Estados de Mato Grosso e Tocantins estão certos em investir no PINHÃO MANSO. Porque os governos dos demais estados, em especial o Nordeste, não fazem o mesmo ?

Faça até 40 Km / Litro, ou mais, usando Bio-Combustível !
Muito Bom para o seu Bolso !
Muito Melhor para a Humanidade e o Planeta TERRA !
Bio-Combustível X Eficiência Energética X Cooperativas de Pequenos Produtores (Ética)
Divulgue e Engaje na LUTA por Um Brasil/Mundo Melhor !


Missao Tanizaki
Fiscal Federal Agropecuário
Bacharel em Química


TUDO POR UM BRASIL / MUNDO MELHOR
46
0 claudio azevedo
09 Julho 2007 - 12:13 pm

BIODIESEL NAO É PRODUTO PETROBRAS, ASSIM COMO O ALCOOL NAO ERA NA DECADA DE 80. PORQUE SERA QUE O PROGRAMA DO ALCOOL FRACASSOU NA DECADA DE 80 ? PORQUE O PROGRAMA DO GAS TOMOU FOLEGO ? PORQUE EXISTE AINDA CARROS MOVIDOS A ALCOOL FABRICADOS NA DECADA DE 80 SE O COBUSTIVEL ERA PROBLEMATICO ?
47
+1 Telmo Heinen - Formosa - GO
09 Julho 2007 - 13:56 pm

São os interesses escusos.
Político é tudo assim: "Não Peço a Deus que me dê, mas que me ponha onde haja(tem)"
Ruins não são os políticos. Ruins mesmo são os populares que acreditam neles...
Cada país tem os políticos que merece (De acordo com o povo que tem he he he).

30 anos de glória fabricando motores à álcool e estes desgraçados conseguiram fazer vigorar esta MODA do carro FLEX e agora pararam completamente com a fabricação dos motores à álcool. Uma Pena!
Este tal de FLEX nunca será tão bom como se fosse à álcool PURO e muito menos como se fosse à Gasolina PURA...

Azar do consumidor (iludido, se deixa conversar, vai atrás da moda... dane-se portanto!!!)

Abs, telmo heinen @yahoo.com.br
48
0 Ananias Baracuhy Néto
10 Julho 2007 - 08:35 am

Li todos esses comentários e fico muito bem impressionado com o grau de interesse que o assunto desperta.H Bio para começo de conversa é produto do petróleo o que na minha opinião já o coloca bem atrás do Biodiesel pois a visão de energia renovável é exatamente ir deixando o petróleo para trás,se aspirar que,com mais 25 anos estejamos precisando somente de usar 30% de combustível fóssil no máximo e pedir a Deus que nos ajude para encurtar esse prazo.
O Biodiesel é produto vegetal puro,muito menos poluente do que o petróleo,é energia renovável além de ser imperativo o combate ao aquecimento global que o biodiesel proporciona.É socialmente muito oportuno,pois irá valorisar terras no semi-árido nordestino que antes não tinha mais opção econômica além de criar boas oportunidade para pequenos, médios e grandes produtores.
Conclusão - H Bio é bom,atenderá uma faze de transição mas a verdadeira revolução é o BIODIESEL porque esquece o petróleo.
A caminhada tem que ser firme porque essa idéia está removendo interesses gigantes do trade do petróleo que é o maior do mundo,está mechendo com plataforma política de alguns governantes,são bilhões e bilhões de Dollares contrariados.
O Brasil partiu na frente nessa conversa de achar energia que seja alternativa e ou substituta o petróleo.Está aí o alcool que já demonstrou ser realidade,programa que começou em 1980 e hoje nos dá a vanguarda na tecnologia de produção,nos dá o primeiro lugar em produção mundial e para isso não precisou apelar para novas áreas agricultáveis,nós temos muitas e muitas áreas para acuparmos com bioenergia e é claro,terá que ter assistência técnica para expandir a agricultura da bioenergia.Nessa área,estamos carentes e se não criar mecanismos que obriguem os produtores a usar assistência técnica,poderemos ter sérios problemas de ocupação agrícola.No Proalcool existiu essa preocupação,sou Engenheiro-Agrônomo e atuei nesse programa.Sem assistência técnica,ficaremos muito vulnerável a muitos erros de ocupação e uso da terra.
49
0 Vanessa
10 Julho 2007 - 08:52 am

A diferença do Biodiesel para o H-Bio é a porcentagem de fonte energética de origem vegetal em sua composição?

Pelo que li e entendi (se é que entendi) o Biodiesel tem em sua composiçao de 2 à 5% (2B e 5B), já o H-bio será produzido com carga de 10 a 15% em massa de óleos vegetais de qualquer natureza...
É por isso que o H-Bio é mais viável para o consumidor em termos econômicos???
50
0 Ananias Baracuhy Néto
11 Julho 2007 - 08:24 am

O H Bio e o Biobiesel trazem verdadeira revolução para efetivamente destronar o Rei Petróleo.O H Bio como solução intermediária me parece muito bom mas é bom que dure pouco.Vamos pesquisar e incrementar a produção do Biodiesel que esse sim,trás novidades principalmente no fato da origem ser vegetal.Quanto a questão econômica, combustível que vem despoluir esse planeta de aquecimeno global terá um pêso específico bem maior nas suas virtudes anti poluentes,ser combustível renovável,proporcionador de inclusão social do que custo financeiro que esse itém sim,tem que se acomodar para manter o seu uso e nunca a questão econômica decidir a sua viabilidade.
Participei da implantação do proalcool no cultivo da cana-de-açucar e digo com experiência que plantar sem assistência técnica é desperdiçar oportunidades de desenvolver culturas com alta produtividade,com cuidados ecológicos,conservação de solo,aplicação correta de adubos e defensivos,aproveitamento de bons adubos que a região oferece e etc...O Proalcool usou a Assitência Técnica das Ematers e de escritórios credenciados da extinta Embrater.Se fazia chegar assistência técnica ao campo a tempo e hora da necessidade.Vamos ter vastas plantações de N culturas e certamente as Ematers não irão ser capases de atender a demanda.Eis aí assunto para Ministério da Agricultura,do Desenvolvimento Agrário,Ibama,Bancos financiadores,e porque não a Petrobras.
Vamos entrar numa era de agricultura onde tudo que se produzir terá valor,muito valor e será preciso fazer esse trabalho de forma racional,inteligente e isso implica no uso de tecnologia rural.
51
0 Ananias Baracuhy Néto
15 Julho 2007 - 10:05 am

Esse comentário vai em resposta a Telmo Heinen quando ele diz que o poder econômico não vai permitir que a bio enegia tire as vantágens do rei petróleo.Digo que o poder que pode em mercado é o da oferta e da procura.Está se procurando loucamente por combustíveis limpos,nós temos e o teremos cada vez mais.A despoluição global não é um convite mas,uma imposição.O Petróleo entrou definitivamente em declínio.
Eu até que acredito que o ser humano não seja tão racional mas o assunto é que continuar como estar,vai incendiar o mundo,vais degelar os polos,os oceanos vão subir de nivel,as secas vão se prolongar,as temperaturas vão subir e etc... e aí,como é que fica!!!irá prevalecer o lado racional da especie ou o lado somente do lucro...
52
0 lucasvieira
26 Julho 2007 - 13:49 pm

Palhaçada isso de H-Bio. Por que ao invés de se gastar milhões, energia, pessola com pesquisas para desenvolver um combustîvel 90% dependente de petroleo, se é possîvel a utilizaçao de óleo vegetal puro??
ou ainda o verdadeiro biodiesel feito a partir de óleos vegetais? venda o petróleo para os norte americanos e produza combustivel limpo, tenho certeza que com o dinheiro dessas pesquisas daria para fomentar toda a cadeia produtiva de óleos vegetais, ao invés de continuar nessa dependencia ridîcula de petroleo e dos paises que mandam e desmandam no petroleo mundial. mais uma palhaçada do nosso "querido" governo brasileiro
53
0 Júlio Coutinho
04 Agosto 2007 - 08:18 am

Deixando um pouco de lado as teorias conspiratórias, acredito que o H-Bio é uma opção muito positiva para a transição definitiva aos combustíveis renováveis, incluindo aí o biodiesel.

Independentemente da questão do meio-ambiente, o grande "motor" da revolução dos bio-combustíveis é afinal a econômica. O Petróleo é finito e, pior que isso, prevê-se um pico de produção lá por volta de 2010. Fica bastante óbvio que, com a demanda continuando a crescer e produção começando a declinar, a lei da oferta e da procura irá levar o preço dessa commodity às alturas.

Também é óbvio que é impossível mudar a infra-estrutura energética mundial para soluções 100% renováveis de uma hora para outra. Simplesmente não existe estrutura para isso. O que não é tão óbvio, no entanto, é que talvez não seja realmente necessária uma mudança tão radical. É possível minimizar o impacto econômico do aumento do Petróleo substituindo parcialmente e gradativamente sua demanda por alternativas como o H-Bio e Biodiesel.

Muito se fala do impacto social positivo do Biodiesel. Realmente, muitas comunidades serão beneficiadas, mas o efeito para a sociedade como um todo quanto à crise energética que se avizinha será muito pior!

Acredito que o H-Bio irá proporcionar uma gradativa conversão ao bio-combustível, de forma economicamente viável, desenvolvendo gradativamente e sob controle novos fornecedores de bio-combustíveis, ou seja, sem sacrificar a sociedade em detrimento de alguns poucos produtores de petróleo que ainda restarão ou da ainda não tão bem estruturada indústria de Bio-Combustíveis.
54
0 Carlen
13 Agosto 2007 - 13:11 pm

É importante monitorar a quantidade de silício no óleo vegetal destinado a fabricação de H-Bio? Se sim, por que? Ele interfere em alguma fase do processo?
55
0 BONFIM-EX-GERENTE - CRATEÚS ALGODOEIRA S/A - CRATEÚS - CE.
15 Outubro 2007 - 13:19 pm

Meu Caro amigo
meu primo e amigo dr.HELDER LEITÃO,PROPRIETÁRIO DO POSTO BEIRA RIO,parabens você agora faz parte
dos comentario da brasil ecodieslel é novo assinante.
seja bem vindo.
vamos a luta a BRASIL ECODIESEL - EX-CRATEÚS ALGODOEIRA S/A É NOSSA E NINGUÉM IRÁ MOVER-LO DE
C RATEUS -CE.

UM ABRAÇO
João José bonfim - crateús -ce.
56
0 RICARDO BOFE DE ELITE
20 Novembro 2007 - 10:15 am

Biodisel E Bom Mais o Petroleo e Melhor
57
0 demis miler
27 Novembro 2007 - 15:25 pm

O H-BIO EO BIODISEL VÃO SER CONCORRENTE, O MAIS BARATO SOBRIVERA.
58
0 Eduardo Soares
18 Março 2008 - 12:13 pm

Pessoal, nao consegui ler todos os Post mas a grande maioria... porem acho que a ideia do H-BIO, BIODIESEL, DIESEL e Motores a Oleo vegetal seja outra. Temos que pensar em alternativas, e alternativas que viabilizem as carencias mundiais, nao só brasileira. Os que acima estão apoiando o uso do Óleo vegetal puro, ja pararam pra pensar o que fazer com todos os motores a diesel que existem? ainda mais, já pararam pra pensar se é viavel a produção de óleo vegetal para suprir tal demanda?? Lembre-se que o oleo vegetal alem de alimento é matéria prima pra muitos produtos (espumas, produtos quimicos etc.)
O brasil é abençoado por ter uma capacidade hidrica e uma disposiçao geografica fantastics que lhe permite usar a energia hidraulica, mas e os outros paises? china, india, japa, europa? Sao movidos a usinas termoeletricas.. O que quero mostrar é que nao adianta focar em 1 tipo de energia... todas sao necessárias e qualquer tipo de evoluçao tecnologica, como biodiesel, motores a oleo vegetal ou o H-BIO devem ser vista com louvor.

Ainda mais pensando num pais como o Brasil com áreas imensas e prosperas para o cultivo de oleagenosas.

Abraços
59
0 Marcelo Rocha
30 Junho 2008 - 20:33 pm

Prezados Senhores:

Venho por meio desta fazer uma denúncia de preconceito e discriminação contras os Tecnólogos, por parte da Petrobrás. Em seu último edital de concurso público, o processo PETROBRAS/PSP- RH-2/2008 - EDITAL N° 1, além de nunca disponibilizar vagas para esta categoria, colocou o seguinte parágrafo no edital:

3.9 - Para todos os cargos, não serão aceitos cursos de Tecnólogo ou Licenciatura, com exceção do cargo Profissional de Ciências Humanas e Sociais Júnior – Pedagogia, onde é prevista a formação em Licenciatura Plena.

Segundo pesquisas, os alunos matriculados nos cursos tecnológicos representam apenas 4% do total de alunos de cursos superiores. Esta porcentagem é extremamente baixa, se comparada aos números encontrados nos países desenvolvidos, nos quais o total de alunos de cursos tecnológicos chega a 50%. A baixa quantidade de alunos deve-se principalmente ao fato dos cursos tecnológicos terem sido regulamentados há poucos anos. Criados em 1996, os primeiros cursos somente foram lançados pelas Instituições de Ensino Superior no início da década atual. O crescimento acelerado das vagas disponíveis e do total de alunos matriculados, porém, parecem indicar que rapidamente a porcentagem de alunos de cursos tecnológicos alcançara os patamares encontrados nos países de primeiro mundo.
A Petrobrás recentemente lançou o Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural), a empresa oferece vagas para cursos gratuitos de capacitação em níveis básico, médio, técnico, superior e inspetores. Candidatos que ingressem no curso e estejam desempregados têm direito, inclusive, a bolsas-auxílio que variam de R$ 300 a R$ 900.
Diante dos fatos apresentados, como se explica a recusa desta empresa de alunos egressos dos cursos superiores de tecnologia? Por que o governo federal mantém os cursos de tecnologia nas universidades públicas, se ele é o primeiro a negar emprego para a categoria? Se a Petrobrás necessita de mão de obra especializada, porque não contratar tecnólogos, profissionais capacitados em cursos superiores?
É vergonhosa a situação imposta pelos burocratas da Petrobrás, demonstra sua falta de visão, acomodação e necessidade urgente de reciclagem. O fato ocorrido no último concurso desta empresa é caso de polícia, talvez até de prisão dos responsáveis pelo edital, pois ele demonstra claramente que eles têm preconceitos contra uma determinada categoria profissional.
Espero que as autoridades do país tomem as medidas legais cabíveis.
60
+1 Telmo Heinen
04 Junho 2010 - 14:49 pm

De todos os prognósticos acima, quais são os que se confirmaram? Estamos em Junho de 2010... e há poucos dias ficamos sabendo que no Golfo do México Há Poço de Petróleo "Auto-Jorrante" Você sabia disso? Mudaram muitas coisas...
61
0 jonas
11 Maio 2011 - 14:34 pm

Olha; será uma grande revolução ambiental e na qualidade do ar,e na qualidade de vida, se o Brasil adquirir o díesel à 10ppm que é o mesmo díesell europeu atualmente e adicionar 10% de biodísel em sua composição...Aguardamos esta boa notícia para daqui à alguns anos.Acho que isto será possível até 2014...
62
0 José A. de Souza Jr.
07 Julho 2011 - 08:02 am

Outra alternativa para o Brasil conseguir substitutos ambientalmente amigáveis de derivados de petróleo poderia ser a gaseificação solar de biomassa, obtendo gás de síntese para fabricar líquidos de Fischer-Tropsch, tais como gasolinas, diesel e querosene de aviação. Ver, p. ex., a este respeito:
http://www.sundropfuels.com/index-9.html
63

Adicionar comentário


Tudo sobre biodiesel