BiodieselBR.com

Seg21042014

    Lembrar | Esqueceu a senha? Não é assinante? Assine já!
Back Biodiesel Análises de mercado: 2006-2009 Análise da produção brasileira de biodiesel

Análise da produção brasileira de biodiesel


Análise Semanal 11.jun.07

Olá assinante.

A produção brasileira de biodiesel (informada pela ANP) do primeiro trimestre e os números apresentados mostram um crescimento de 1.254% em relação ao mesmo período do ano passado, alcançando 52,055 milhões de litros, contra 3,843 milhões no primeiro trimestre de 2006. A quantia produzida em 2007 é próxima à de todo o ano de 2006 que foi de 68,548 milhões de litros.

A expectativa de produção de 2007 permite dizer que 2007 será o primeiro ano do biodiesel no Brasil. Isso porque a produção de 2005 fora de apenas 736 mil litros (o equivalente a três dias de produção da usina da Granol em Anápolis) e a produção de 2006 daria ao Brasil a 14ª posição em uma lista com os países europeus produtores de biodiesel. Essa posição é vergonhosa para um país com uma área agrícola tão grande. Em 2007, se mantida essa taxa de crescimento, o Brasil produzirá 860 milhões de litros de biodiesel, que se comparada a produção européia de 2006 seria apenas menor que a produção alemã de biodiesel. Os Estados Unidos produziu no ano passado 950 milhões de litros de biodiesel e a Europa 6,06 bilhões de litros. A Europa ultrapassou a marca de um bilhão de litros de biodiesel por ano em 2002.

O pequeno tamanho da produção brasileira também mostra que toda a campanha a favor do biodiesel feita pelo presidente Lula é baseada no potencial de produção brasileiro e não na produção de biodiesel existente. O Brasil tem potencial para produzir dezenas de bilhões de litros de biodiesel, mas no momento a escala está em dezenas de milhões. Essa bandeira levantada e conduzida por Lula está atraindo dezenas de empresários e investidores que vêm a possibilidade de aliar o potencial agrícola brasileiro com a indústria da energia para ganhar dinheiro.

Por enquanto apenas duas empresas dominam a produção de biodiesel no Brasil. A Granol e a Brasil Ecodiesel desde 2006 detêm mais de 90% da produção brasileira. A divisão da produção brasileira entre essas duas empresas não deve durar por todo o ano de 2007 já que nesse segundo trimestre novas usinas devem iniciar a sua produção como a Barraálcool, Bertin, BSbios, Caramuru e Oleoplan.

Na produção do primeiro trimestre as usinas que produziram biodiesel ficaram com uma ociosidade de mais de 60% de sua capacidade autorizada, a única grande usina que fugiu a essa regra foi a usina da Granol em Anápolis, que trabalhou a 90% da capacidade máxima autorizada. O fato da empresa trabalhar a toda capacidade surpreendeu aqueles que não acreditam em uma produção de biodiesel economicamente viável, com esses preços de óleo.

Esta produção oficial divulgada pela ANP refere-se à produção das usinas com registro junto a agência e não englobam a produção de pequenas usinas que produzem para consumo próprio no interior do Brasil. Este é um problema que a ANP precisa resolver, trazer para a legalidade todas estas usinas, que embora sejam pequenas, a soma de sua produção resultam em números consideráveis que não aparecem nos registros de produção oficiais, e principalmente podem estar produzindo um “biodiesel” não especificado nocivo aos veículos.

Produção de biodiesel por ano

Produção de biodiesel por ano


B5
A USP - Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto divulgou nesta semana o maior teste já realizado no Brasil com biodiesel B5 misturado ao diesel de petróleo. Mais de uma centena de caminhões e vans percorreram desde 2004 mais de sete milhões de quilômetros com esta mistura de biodiesel ao diesel. Peças e motores foram avaliados e não foi constatado nenhum problema de desgaste e também não houve variação de consumo ou desempenho dos motores.

Os resultados positivos vindos dos centros de pesquisa é um incentivo a mais para o governo aumentar o percentual de mistura obrigatória de 2% (B2) a partir de janeiro de 2008 para 2,5% ou 2,8% e antecipar em alguns anos a mistura de 5% (B5) que será obrigatória a partir de 2013. O maior incentivo para esse aumento é a capacidade de produção de biodiesel autorizada pela ANP (atualmente 1,154 bilhões de litros, podendo chegar a 2,5 bilhões se todos os 54 pedidos de autorização pendentes forem aprovados) que somente será totalmente utilizada se houver uma demanda garantida. A demanda por biodiesel com o B2 é de 850 milhões de litros e com o B5 é de 2,125 bilhões de litros e são, respectivamente, menores que a capacidade autorizada e a autorizar.

Como o B5 não traz problemas para o motor e os pedidos de autorização de produção de biodiesel são muitos, o governo deve estar aguardando um sinal claro das usinas de que podem produzir os 2 bilhões de litros necessários a um preço adequado, para que possa anunciar a antecipação do percentual de mistura de 5% do biodiesel no diesel. Este sinal deve vir na forma de uma garantia de produção constante de várias usinas diferentes. A produção de biodiesel tem que estar distribuída em dezenas de usinas que estejam mostrando que podem produzir o que lhes foi autorizado e que tenham garantia de fornecimento viável de sua matéria-prima.


Análise anterior

01 junho

  • Os financiamentos voltados para produção de biodiesel
  • Os óleos vegetais e a demanda por biodiesel

Mais análises...


As mais lidas da semana

1 Fatos do pinhão manso (o que o mundo sabe sobre a Jatropha)

2 O girassol e o biodiesel

3 Brasil não tem destino certo para glicerina gerada por biodiesel

4 Brasil abraça biodiesel sem plano estratégico, dizem analistas

5 Projeto obriga adição de 20% de biodiesel ao óleo diesel

6 Brasil Ecodiesel inaugura usina gaúcha neste mês

7 Embrapa pede para poupar oleaginosas

8 Depois de 7 milhões de km rodados, aprovam o B5

9 Opep ameaça aumentar preço do petróleo por causa dos biocombustíveis

10 Óleo de cozinha usado será convertido em combustível



Quem leu esta notícia também se interessou:

Tudo sobre biodiesel