BiodieselBR.com

Qua23042014

    Lembrar | Esqueceu a senha? Não é assinante? Assine já!
Back Biodiesel Matéria-prima Mamona Estudos Produtos e Co-produtos

Estudos da mamona: Produtos e Co-produtos

A cadeia produtiva da mamona: uma estratégia de desenvolvimento para o ceará

O presente trabalho, realizado para promover o fortalecimento da cadeia produtiva da mamona no Ceará, foi dividido em três fases distintas: identificação, capacitação e consenso. A estratégia utilizada promoveu a participação e o consenso de representantes de todos os elos da cadeia produtiva. O ponto principal foi nivelar conhecimentos, fomentar um debate construtivo, apresentar a realidade de cada um e, ao mesmo tempo, identificar problemas e propor soluções para a construção de uma cadeia produtiva para a cultura da mamona, considerando-se a oportunidade do crescente mercado do biodiesel. Para isso foi incrementada a valorização das técnicas de negociação, necessárias para o bom trânsito de informações dentro da cadeia. A seguir, na etapa de concertação, foram elaboradas propostas consensuais, consolidadas em um plano de ação, que nortearam os procedimentos subseqüentes do Comitê Gestor do Programa da Mamona do Estado do Ceará. Como produto essencial, além do plano de expansão para a cadeia produtiva da mamona, foi gerada uma metodologia para o desenvolvimento a ser aplicada nas demais cadeias produtivas de importância econômica para o Estado.

Avaliação da composição química de tortas de mamona e amendoim obtidas por diferentes métodos de extração de óleo

O experimento foi realizado como objetivo de avaliar a composição química de tortas de amendoim (Arachis hypogea L.) e mamona (Ricinus communis L.) obtidas através de três métodos de extração de óleo. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado com nove tratamentos dispostos em fatorial e três repetições. Os tratamentos consistiram de três métodos de extração de óleo (etanol, hexano e prensagem) e três oleaginosas (amendoim cultivar Tatu, mamona: cultivares AL Guarany2002 e Nativa). Determinou-se os valores de proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), matéria mineral (MM), fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA). O método extração de óleo com hexano proporcionou maior redução no teor de EE e FDN das tortas. A torta de mamona extraída da cultivar AL Guarany 2002 apresentou qualidade superior às tortas de amendoim e mamona cultivar Nativa, em razão do alto teor de PB e MM.

Avaliação dos teores de óleos essenciais de variedades da mamona

O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de verificar a presença de óleos essenciais em folhas de diferentes variedades de mamona (Ricinus communis L.). Para extração dos óleos essenciais, utilizou-se o método de arraste de vapor no aparelho de C levenger modificado. Os resultados evidenciaram diferenças significativas na presença de óleos essenciais nas diferentes variedades, sendo que a mamona BRS -149 (Nordestina) apresentou o maior teor (109 ppm). Os resultados sugerem a continuidade dos estudos no sentido de verificar a potencialidade de aplicação destes óleos essenciais em diversas áreas como, por exemplo, a química, cosmética, fitossanitária, farmacêutica e alimentar.

Composição química da torta de mamona

A industrialização da mamona tem o óleo como produto principal, mas também resulta na torta que é um produto de grande importância e com significativa participação nas receitas da indústria. A torta de mamona contém alto teor de proteína, mas não tem sido utilizada como alimento animal devido à presença de toxinas e alérgenos. O presente trabalho objetivou determinar a composição química da torta de mamona. Utilizou-se a torta produzida a partir de sementes de origem indeterminada, cultivadas no Estado do Ceará, fornecida por um a pequena indústria de extração localizada no Município de Eusébio, CE (M &Z Química). O processo de extração constou de aquecimento da semente seguido de prensagem. Foram encontrados os seguintes teores: 8,13% de umidade, 13,10% de óleo, 12,11% de cinzas, 28,74% de proteína, 3,00% de fósforo e 0,96% de potássio. O alto teor de óleo presente na torta possivelmente deve-se a falhas no processo industrial de obtenção da torta. Confirmou-se expressivo teor de proteínas, fósforo e potássio, os quais a tornam excelente adubo orgânico.

Estudo da viabilidade técnica para geração de energia elétrica a partir dos resíduos da mamona

A produção de biodiesel do óleo de mamona (Ricinus communis L.) gera resíduos em quantidades significativas. Seu destino também deve ser considerado como uma etapa importante do processo, pois legislações ambientais recentes têm se mostrado cada vez mais rigorosas em relação a novas unidades de beneficiamento de matéria vegetal. Considerando a sustentabilidade econômica, novas atividades de processamento industrial devem ser incorporadas na gestão de resíduos. No caso da mamona, seus principais descartes incluem a casca das bagas e a torta celulósica processada, que são utilizadas nas etapas de adubação e compostagem. Este trabalho apresenta um estudo de viabilidade técnica para geração de energia elétrica a partir da gaseificação das cascas da mamona, reduzindo o impacto ambiental em unidades de beneficiamento de biodiesel.

Extração do óleo fixo da torta oriunda da prensagem industrial de sementes de Ricinus communis (mamona)

Da industrialização das sementes de mamona (Ricinus communis L.), obtém-se um óleo de característica particular com inúmeras utilidades e, com o subproduto, a torta de mamona, que é utilizada principalmente com o adubo orgânico de alta qualidade. A torta contém ainda um a certa quantidade de óleo, que pode ser variável em função da eficiência do processo de extração por prensagem. Este trabalho foi desenvolvido com a finalidade de quantificar o óleo fixo residual na torta de mamona resultante da prensagem de sementes de dois cultivares de mamona, utilizando-se dois solventes químicos (etanol e hexano), bem como qualificar estes óleos. O etanol foi mais eficiente na extração do óleo, sendo que a quantidade de óleo restante na torta de mamona, sugere que o processo de retirada com solventes químicos, seja avaliado para utilização industrial, tendo em vista que o óleo de mamona não tem efeito nutricional para o solo quando a torta é utilizada com o adubo.

Mineralização da torta de mamona, esterco bovino e bagaço de cana estimada pela respiração microbiana.

Quando um material rico em C-orgânico é adicionado ao solo, é utilizado pelos organismos como fonte de carbono e energia, ocorrendo um aumento na atividade biológica com posterior liberação de CO2. Objetivou-se com o presente trabalho estudar a mineralização da torta de mamona através da técnica de medição da respiração microbiana e compará-la com dois adubos orgânicos comuns: esterco bovino e bagaço de cana. Os três materiais foram incubados em quatro repetições por 33 dias, na presença de NaOH , fazendo-se leituras da respiração a cada 4 dias através de titulação com HCl. Foi detectada grande atividade microbiana no solo em que se adicionou torta de mamona, um indicativo de que a decomposição desse material é muito rápida e que seus nutrientes são rapidamente disponibilizados para as plantas logo após sua adição ao solo com o adubo orgânico. Nos 33 dias de incubação, detectou-se a respiração de 35mg de CO2/kg de solo, enquanto no esterco o valor foi de 5mg e no bagaço de cana apenas 2,4mg.

Resíduo industrial da mamona como fonte alternativa na alimentação animal

Existe uma grande necessidade em aumentar a produção e produtividade das atividades agrícola e pecuária em face da demanda de alimentos pela população humana. Entretanto, em regiões como o semi-árido Brasileiro, a exploração de animais domésticos é limitada pelas condições naturais e pelo baixo grau de tecnologia aplicado, o que reflete diretamente na taxa de desfrute dos rebanhos. Durante épocas secas, observa-se um a redução quantitativa das forrageiras, o amadurecimento fisiológico da planta com condições de lignificação mais intensa, resultando em redução da digestibilidade, proteína e alguns minerais importantes. Por outro lado, existe um amplo potencial para se aumentar os recursos forrageiros em que destaca-se o uso de fontes não convencionais de alimentos. Dentre essas fontes destaca-se a torta da mamona, que face ao advento do biodiesel, consolida um a tendência de ampliação das áreas de cultivo na maioria dos estados do semi-árido brasileiro, gerando um excedente de torta, que após destoxificada, pode ser direcionada para uso rotineiro na alimentação de ruminantes e de outras criações como piscicultura e avicultura.

Uso de torta de mamona enim em mudas de mamoeiro infestadas pelo nematóide das galhas

Foram avaliados, na Embrapa Mandioca e Fruticultura, três experimentos, testando-se diferentes dosagens de torta de mamona e nim em mudas de mamoeiro inoculadas com Meloidog y neincognita ou M. javanica. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos casualizados, no esquema fatorial (4x2), utilizadas quatro doses de torta de mamona e dois níveis de inóculo (0 e 1000J2/planta). Para o experimento 1e 2, avaliou-se as doses de zero, 5, 10 e 15 e zero, 2,4 e 6g/vaso de torta de mamona, respectivamente, e zero, 2,4 e 6g/vaso de folhas e hastes secas de nim, para o experimento 3. No transplantio e aos 80 dias após, registraram-se os parâmetros vegetativos. A ocorrência de baixas temperaturas provocou desenvolvimento insatisfatório das plantas e acentuada queda de folhas independente dos tratamentos. No experimento 1, observou-se tendência de menor desenvolvimento das plantas quando as dosagens da torta de mamona foram entre 10 e 15g/vaso. Nos experimentos 2 e 3, observou-se tendência ao aumento no crescimento das plantas à medida que se aumentou as doses de torta de mamona e nim, respectivamente. Sugere-se que a concentração maior utilizada no experimento 1 tenha prejudicado o crescimento da planta. Entretanto, os dados não são conclusivos.

Uso de torta de mamona em plantas de aceroleira infestadas por fito nematóides

Nas estratégias de manejo de nematóides, o interesse por alternativas não químicas tem crescido muito, principalmente devido às restrições impostas ao brometo de metila e outros nematicidas pelos riscos ao homem e ao meio ambiente. A utilização de resíduos de mamona tem sido relacionada a longevidade da cultura por meio da melhoria físico-química dos solos e fertilidade bem com o à redução da população dos nematóides. No Banco Ativo de Germoplasma de Aceroleira da Embrapa Mandioca e Fruticultura foram selecionadas 34 plantas situadas em área infestada por fitonematóides. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado, com dois tratamentos e 17 repetições, com postos por aplicações de torta de mamona na projeção da copa das plantas, nas doses de 1000 e 2000 g/planta. Noventa dias após a aplicação, registraram-se os parâmetros vegetativos. Cada planta representou uma parcela experimental. Diversas espécies de fitonematóides, incluindo Meloidog y neincognita estão presentes na área experimental e terão suas populações avaliadas a cada trimestre por meio de análise nematológica. Como o experimento encontra-se em andamento, o efeito da torta de mamona não é conclusivo.

Tudo sobre biodiesel